Uma «peça fantástica» nos teatros de Lisboa no início do século XX: a partir de Vénus (1905) de Augusto Machado

Research output: Contribution to conferenceAbstract

5 Downloads (Pure)

Abstract

Esta comunicação pretende abordar a obra Vénus na perspectiva do seu enquadramento na carreira de Augusto Machado como compositor de diversas obras para teatro musical, sobretudo óperas e operetas. Apelidada pelo compositor de “peça fantástica”, destaca-se pelo seu carácter distinto e insere-se no repertório de mágica. Foi estreada no Teatro D. Amélia em Lisboa, em Dezembro de 1905, numa adaptação e tradução de Acácio Antunes. Marcada pela componente cenográfica de grande complexidade de maquinaria e cenografia num espectáculo que resultou da colaboração das companhias dos teatros D. Amélia (Augusto Rosa) e Avenida (Sousa Bastos). O enredo desenrola-se a partir de um sonho, remetendo para um imaginário oriental e exótico que se reflecte na música, através de estratégias orquestrais diversificadas e pela utilização de instrumentos para determinados efeitos evocativos desse ambiente, realçado pela espectacularidade da componente cenográfica. Pretende-se sobretudo, apresentar e discutir elementos que contribuam para compreender de que forma os aspectos musicais e dramatúrgicos se articulam na génese deste espectáculo. A abordagem aos artíficios visuais e musicais aprofunda a compreensão dos elementos que reflectem questões ideológicas, sociais e de moralidade, conjugados pela comicidade inerente à sua concepção dramática.
Original languagePortuguese
Number of pages1
Publication statusPublished - Nov 2017
EventVII Encontro Nacional de Investigação em Música ENIM 2017 - Universidade do Minho, SPIM, Braga, Portugal
Duration: 9 Nov 201711 Nov 2017

Conference

ConferenceVII Encontro Nacional de Investigação em Música ENIM 2017
Abbreviated titleENIM 2017
CountryPortugal
CityBraga
Period9/11/1711/11/17

Keywords

  • Vénus
  • Augusto Machado
  • peça fantástica

Cite this