Uma memória portuguesa de "Media noche era por filo"

Research output: Contribution to journalArticlepeer-review

Abstract

Uma versão minhota de “Conde Claros vestido de frade” dá-nos um testemunho único da preservação moderna do verso “que los yerros por amores / dignos son de perdonar”. O presente estudo procura compreender a excecionalidade deste caso por meio da análise das atualizações poéticas de “Conde Claros preso” na tradição portuguesa. Examina ainda os efeitos da migração intertextual daquela fórmula para o tema recetor, com o objetivo final de contribuir para um conhecimento mais abrangente da transmissão de “Media noche era por filo”.

A version of the ballad “Conde Claros vestido de frade” from Minho, in the north of Portugal, gives us a unique testimony of the modern preservation of the verse “que los yerros por amores dignos son de perdonar”. This study seeks to understand the exceptionality of this case by analyzing the versions of “Conde Claros preso” in Portuguese tradition. It also examines the consequences of this intertextual migration, with the final purpose
of contributing to a more comprehensive knowledge of the transmission of “Media noche era por filo”.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)93-105
Number of pages13
JournalAbenámar - Cuadernos de la Fundación Ramón Menéndez Pidal
Issue number4
Publication statusPublished - 2021

Keywords

  • Romanceiro
  • Conde Claros
  • “Media noche era por filo”
  • Tradição moderna portuguesa
  • Contaminação
  • Pan-Hispanic ballad
  • Portuguese modern tradition
  • Contamination

Cite this