A Imprensa de Língua Portuguesa no Oriente (1822-1846): Caixa-de-ressonância da geoestratégia dos Estados Unidos da América e da Grã-Bretanha na região

Translated title of the contribution: The Portuguese-Speaking Press in the Orient (1822-1846): Sounding board for the geostrategy of the United States of America and Great Britain in the region

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

5 Downloads (Pure)

Abstract

Deambular pelos periódicos de língua portuguesa no Oriente da primeira metade do século XIX e constatar os métodos de obtenção de mercados e de aproximação a estes espaços, mostra como a geoestratégia pode mudar em função do país que a delineia, independentemente de idênticos objectivos, isto é, mercado e matérias-primas. Existe, nesta primeira metade do século XIX, uma tradição britânica na relação de aproximação, que varia em função do espaço a dominar, privilegiado ou periférico, em concordância com os interesses pretendidos. Ou seja, a “política de canhoneira”, e a consequente indemnização a pagar pelo povo sujeitado, é o argumento mais utilizado sempre que os benefícios (mercado e matérias primas) a adquirir são essenciais nos objectivos estratégicos antes delineados. A autoridade transmuda-se de máquina para fabricar o respeito em instrumento que produz um constrangimento interiorizado, necessário, em que, na falta ou na (in)desejabilidade de outra via, surge como “inevitável” o recurso à força bruta. Ou é a sujeição ou a guerra. Neste contexto, os Estados Unidos da América (E.U.A.) parecem ter, nesta estratégia de aproximação ao seu poderio à escala mundial, uma outra perspectiva, baseada no princípio de não ingerência (uma estratégia de sedução), respeito pelos povos, considerados todos no quadro de relação privilegiada recíproca, com vantagens mútuas. O recurso à “política de canhoneira” está para os E.U.A., nesta conjuntura, completamente fora de questão, o que não acontece com o seu antigo colonizador, a Grã-Bretanha (G.B.).
Translated title of the contributionThe Portuguese-Speaking Press in the Orient (1822-1846): Sounding board for the geostrategy of the United States of America and Great Britain in the region
Original languagePortuguese
Title of host publicationPara uma história do jornalismo português no mundo
EditorsAlberto Pena-Rodríguez, António Hohlfeldt
Place of PublicationLisboa
PublisherICNOVA – Instituto de Comunicação da Nova
Pages359-377
Number of pages19
ISBN (Electronic)978-989-9048-08-9
ISBN (Print)978-989-9048-09-6
DOIs
Publication statusPublished - 2021

Keywords

  • Imprensa portuguesa
  • Oriente
  • Estados Unidos
  • Grã-Bretanha
  • Portuguese press
  • Orient
  • United States
  • Great Britain

Fingerprint

Dive into the research topics of 'The Portuguese-Speaking Press in the Orient (1822-1846): Sounding board for the geostrategy of the United States of America and Great Britain in the region'. Together they form a unique fingerprint.

Cite this