The Network in Spider Strategy: "Post-Truth", Politics and Regression

Research output: Contribution to journalArticle

2 Downloads (Pure)

Abstract

As estratégias algorítmicas da era da “pós-verdade” vieram desconfigurar a política e estão a abalar os alicerces das velhas democracias. A par disso, as novas dinâmicas clickbait vieram agravar o já de si frágil posicionamento do fenómeno jornalístico no mundo contemporâneo. Este algorithmic turn, que chegou à política, às notícias e à interacção social, está a evoluir para uma dimensão insondável, não somente porque constituiu o algoritmo em gatekeeper, mas também porque criou máquinas de propaganda especializadas em engenharia social, em automação do comportamento político e em correntes emocionais, manipulando a opinião e criando novas espirais de silêncio. Cultura, política e comunicação enfrentam estes novos abismos. Neste texto procuraremos pensar esta vertigem, esta tecnologização e distopia da mediação, do saber e do conhecimento, a nova propaganda, armada agora pela Inteligência Artificial, em que as plataformas digitais e os seus algoritmos porventura não dominam ainda completamente os processos de interação e de comunicação, embora claramente os (nos) monitorizem e rastreiem, reconduzindo a experiência democrática para âmbitos mais complexos de regressão histórica e política.
Translated title of the contributionThe Network in Spider Strategy: "Post-Truth", Politics and Regression
Original languageMultiple languages
Pages (from-to)21-35
Number of pages14
JournalObservatorio (OBS*)
VolumeSpecial
DOIs
Publication statusPublished - 1 Oct 2018

Fingerprint

propaganda
regression
politics
gatekeeper

Keywords

  • Internet
  • Pós-verdade
  • jornalismo
  • Democracia

Cite this

@article{9e8299b6ef604a51a78ca325a8c3b205,
title = "A Rede na Estrat{\'e}gia da Aranha:: “P{\'o}s-verdade”, Pol{\'i}tica e Regress{\~a}o",
abstract = "As estrat{\'e}gias algor{\'i}tmicas da era da “p{\'o}s-verdade” vieram desconfigurar a pol{\'i}tica e est{\~a}o a abalar os alicerces das velhas democracias. A par disso, as novas din{\^a}micas clickbait vieram agravar o j{\'a} de si fr{\'a}gil posicionamento do fen{\'o}meno jornal{\'i}stico no mundo contempor{\^a}neo. Este algorithmic turn, que chegou {\`a} pol{\'i}tica, {\`a}s not{\'i}cias e {\`a} interac{\cc}{\~a}o social, est{\'a} a evoluir para uma dimens{\~a}o insond{\'a}vel, n{\~a}o somente porque constituiu o algoritmo em gatekeeper, mas tamb{\'e}m porque criou m{\'a}quinas de propaganda especializadas em engenharia social, em automa{\cc}{\~a}o do comportamento pol{\'i}tico e em correntes emocionais, manipulando a opini{\~a}o e criando novas espirais de sil{\^e}ncio. Cultura, pol{\'i}tica e comunica{\cc}{\~a}o enfrentam estes novos abismos. Neste texto procuraremos pensar esta vertigem, esta tecnologiza{\cc}{\~a}o e distopia da media{\cc}{\~a}o, do saber e do conhecimento, a nova propaganda, armada agora pela Intelig{\^e}ncia Artificial, em que as plataformas digitais e os seus algoritmos porventura n{\~a}o dominam ainda completamente os processos de intera{\cc}{\~a}o e de comunica{\cc}{\~a}o, embora claramente os (nos) monitorizem e rastreiem, reconduzindo a experi{\^e}ncia democr{\'a}tica para {\^a}mbitos mais complexos de regress{\~a}o hist{\'o}rica e pol{\'i}tica.",
keywords = "Internet, P{\'o}s-verdade, jornalismo, Democracia",
author = "C{\'a}dima, {Francisco Rui}",
year = "2018",
month = "10",
day = "1",
doi = "10.15847/obsOBS12520181294",
language = "Multiple languages",
volume = "Special",
pages = "21--35",
journal = "Observatorio (OBS*)",
issn = "1646-5954",
publisher = "OberCom - Observatorio da Comunica��o",

}

A Rede na Estratégia da Aranha: “Pós-verdade”, Política e Regressão. / Cádima, Francisco Rui .

In: Observatorio (OBS*), Vol. Special, 01.10.2018, p. 21-35.

Research output: Contribution to journalArticle

TY - JOUR

T1 - A Rede na Estratégia da Aranha:

T2 - “Pós-verdade”, Política e Regressão

AU - Cádima, Francisco Rui

PY - 2018/10/1

Y1 - 2018/10/1

N2 - As estratégias algorítmicas da era da “pós-verdade” vieram desconfigurar a política e estão a abalar os alicerces das velhas democracias. A par disso, as novas dinâmicas clickbait vieram agravar o já de si frágil posicionamento do fenómeno jornalístico no mundo contemporâneo. Este algorithmic turn, que chegou à política, às notícias e à interacção social, está a evoluir para uma dimensão insondável, não somente porque constituiu o algoritmo em gatekeeper, mas também porque criou máquinas de propaganda especializadas em engenharia social, em automação do comportamento político e em correntes emocionais, manipulando a opinião e criando novas espirais de silêncio. Cultura, política e comunicação enfrentam estes novos abismos. Neste texto procuraremos pensar esta vertigem, esta tecnologização e distopia da mediação, do saber e do conhecimento, a nova propaganda, armada agora pela Inteligência Artificial, em que as plataformas digitais e os seus algoritmos porventura não dominam ainda completamente os processos de interação e de comunicação, embora claramente os (nos) monitorizem e rastreiem, reconduzindo a experiência democrática para âmbitos mais complexos de regressão histórica e política.

AB - As estratégias algorítmicas da era da “pós-verdade” vieram desconfigurar a política e estão a abalar os alicerces das velhas democracias. A par disso, as novas dinâmicas clickbait vieram agravar o já de si frágil posicionamento do fenómeno jornalístico no mundo contemporâneo. Este algorithmic turn, que chegou à política, às notícias e à interacção social, está a evoluir para uma dimensão insondável, não somente porque constituiu o algoritmo em gatekeeper, mas também porque criou máquinas de propaganda especializadas em engenharia social, em automação do comportamento político e em correntes emocionais, manipulando a opinião e criando novas espirais de silêncio. Cultura, política e comunicação enfrentam estes novos abismos. Neste texto procuraremos pensar esta vertigem, esta tecnologização e distopia da mediação, do saber e do conhecimento, a nova propaganda, armada agora pela Inteligência Artificial, em que as plataformas digitais e os seus algoritmos porventura não dominam ainda completamente os processos de interação e de comunicação, embora claramente os (nos) monitorizem e rastreiem, reconduzindo a experiência democrática para âmbitos mais complexos de regressão histórica e política.

KW - Internet

KW - Pós-verdade

KW - jornalismo

KW - Democracia

U2 - 10.15847/obsOBS12520181294

DO - 10.15847/obsOBS12520181294

M3 - Article

VL - Special

SP - 21

EP - 35

JO - Observatorio (OBS)

JF - Observatorio (OBS)

SN - 1646-5954

ER -