O mundo da arte urbana emergente

contextos e atores

Translated title of the contribution: The emergent urban art world: contexts and actores

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

A partir da década de 90 do século passado, o fenómeno do graffiti passou a fazer parte da paisagem das cidades portuguesas. O graffiti emergente neste período derivava de uma manifestação cultural com cerca de duas décadas de vida, tendo por origem as cidades de Filadelfia e Nova lorque. Nos últimos anos a tolerância social a estas manifestações de índole popular e informal foi aumentando, o que resultou, em paralelo, numa crescente legitimação e institucionalização destas praticas. Convivendo com o graffiti na cidade deparamo-nos, hoje, com um conjunto de outras expressões estéticas e artísticas que derivam deste fen6meno. No discurso comum e especializado encontramos recorrentes alusões a street art ou arte urbana. Neste artigo argumentamos que a arte urbana se tem vindo a constituir enquanto um mundo da arte (Becker, 2010) ou um campo de produção artística emergente (Bourdieu, 1996). A nossa reflexão parte de um projeto atualmente em curso na Área Metropolitana de Lisboa, em que se procurou entrevistar um conjunto variado de atores sociais associados a este campo.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)70-93
Number of pages23
JournalTodas as artes: Revista Luso-Brasileira de artes e cultura
Volume1
Issue number2
Publication statusPublished - 2018

Fingerprint

Arte
graffiti
art

Keywords

  • arte urbana
  • graffiti
  • street art
  • mundo da arte
  • campo artístico

Cite this

@article{d8b4276fea54410ca552867cd83870de,
title = "O mundo da arte urbana emergente: contextos e atores",
abstract = "A partir da d{\'e}cada de 90 do s{\'e}culo passado, o fen{\'o}meno do graffiti passou a fazer parte da paisagem das cidades portuguesas. O graffiti emergente neste per{\'i}odo derivava de uma manifesta{\cc}{\~a}o cultural com cerca de duas d{\'e}cadas de vida, tendo por origem as cidades de Filadelfia e Nova lorque. Nos {\'u}ltimos anos a toler{\^a}ncia social a estas manifesta{\cc}{\~o}es de {\'i}ndole popular e informal foi aumentando, o que resultou, em paralelo, numa crescente legitima{\cc}{\~a}o e institucionaliza{\cc}{\~a}o destas praticas. Convivendo com o graffiti na cidade deparamo-nos, hoje, com um conjunto de outras express{\~o}es est{\'e}ticas e art{\'i}sticas que derivam deste fen6meno. No discurso comum e especializado encontramos recorrentes alus{\~o}es a street art ou arte urbana. Neste artigo argumentamos que a arte urbana se tem vindo a constituir enquanto um mundo da arte (Becker, 2010) ou um campo de produ{\cc}{\~a}o art{\'i}stica emergente (Bourdieu, 1996). A nossa reflex{\~a}o parte de um projeto atualmente em curso na {\'A}rea Metropolitana de Lisboa, em que se procurou entrevistar um conjunto variado de atores sociais associados a este campo.",
keywords = "arte urbana, graffiti, street art, mundo da arte, campo art{\'i}stico",
author = "Campos, {Ricardo Marnoto de Oliveira} and Sequeira, {{\'A}gata Dourado}",
note = "info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147304/PT# UID/SOC/04647/2019",
year = "2018",
language = "Portuguese",
volume = "1",
pages = "70--93",
journal = "Todas as artes: Revista Luso-Brasileira de artes e cultura",
issn = "2184-3805",
number = "2",

}

TY - JOUR

T1 - O mundo da arte urbana emergente

T2 - contextos e atores

AU - Campos, Ricardo Marnoto de Oliveira

AU - Sequeira, Ágata Dourado

N1 - info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147304/PT# UID/SOC/04647/2019

PY - 2018

Y1 - 2018

N2 - A partir da década de 90 do século passado, o fenómeno do graffiti passou a fazer parte da paisagem das cidades portuguesas. O graffiti emergente neste período derivava de uma manifestação cultural com cerca de duas décadas de vida, tendo por origem as cidades de Filadelfia e Nova lorque. Nos últimos anos a tolerância social a estas manifestações de índole popular e informal foi aumentando, o que resultou, em paralelo, numa crescente legitimação e institucionalização destas praticas. Convivendo com o graffiti na cidade deparamo-nos, hoje, com um conjunto de outras expressões estéticas e artísticas que derivam deste fen6meno. No discurso comum e especializado encontramos recorrentes alusões a street art ou arte urbana. Neste artigo argumentamos que a arte urbana se tem vindo a constituir enquanto um mundo da arte (Becker, 2010) ou um campo de produção artística emergente (Bourdieu, 1996). A nossa reflexão parte de um projeto atualmente em curso na Área Metropolitana de Lisboa, em que se procurou entrevistar um conjunto variado de atores sociais associados a este campo.

AB - A partir da década de 90 do século passado, o fenómeno do graffiti passou a fazer parte da paisagem das cidades portuguesas. O graffiti emergente neste período derivava de uma manifestação cultural com cerca de duas décadas de vida, tendo por origem as cidades de Filadelfia e Nova lorque. Nos últimos anos a tolerância social a estas manifestações de índole popular e informal foi aumentando, o que resultou, em paralelo, numa crescente legitimação e institucionalização destas praticas. Convivendo com o graffiti na cidade deparamo-nos, hoje, com um conjunto de outras expressões estéticas e artísticas que derivam deste fen6meno. No discurso comum e especializado encontramos recorrentes alusões a street art ou arte urbana. Neste artigo argumentamos que a arte urbana se tem vindo a constituir enquanto um mundo da arte (Becker, 2010) ou um campo de produção artística emergente (Bourdieu, 1996). A nossa reflexão parte de um projeto atualmente em curso na Área Metropolitana de Lisboa, em que se procurou entrevistar um conjunto variado de atores sociais associados a este campo.

KW - arte urbana

KW - graffiti

KW - street art

KW - mundo da arte

KW - campo artístico

M3 - Article

VL - 1

SP - 70

EP - 93

JO - Todas as artes: Revista Luso-Brasileira de artes e cultura

JF - Todas as artes: Revista Luso-Brasileira de artes e cultura

SN - 2184-3805

IS - 2

ER -