Testemunhos Arqueológicos na Rua do Jardim do Regedor nº 10 a 32, Lisboa

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

32 Downloads (Pure)

Abstract

O artigo que se segue respeita aos testemunhos arqueológicos encontrados durante a intervenção na Rua do Jardim do Regedor, nº 10 a 32, Lisboa. Localizado “fora dos muros” da Lisboa Medieval e Moderna, na antiga Rua da Mancebia, junto às Portas de Santo Antão,o local é mencionado pela historiografia como apenas uma zona de hortas ou de construção abarracada. Todavia, os trabalhos efectuados demonstram que terá existido “construção sólida” através da descoberta de estrutura constituída por elementos pétreos disformes com ligante em argila e de outra também com elementos pétreos, argila e argamassa. Ambas, no seu momento de abandono ou destruição parecem ter sido entulhadas com detritos cerâmicos de época medieval/moderna.O espaço revelou ainda uma possível área de jardins fundamentada por uma estrutura que aparenta corresponder a um tanque de armazenamento de água ou a um lago artificial, visto ter imediatamente a seu lado uma zona calcetada com seixo de rio de pequena dimensão, de coloração preta, delimitada por seixos de média dimensão de coloração branca, e com motivos geométricos decorativos no interior a branco.

The following study concerns the archaeological remains discovered during the works that took place in Rua do Jardom do Regedor, nº10-32, Lisboa. Located outside the Medieval and Modern city wall, in the old Rua da Mancebia, close to Portas de Santo Antão, the location is mentioned in documents as an area with fields and precarious wooden buildings. However, the archaeological work showed that the reality was a bit different, with the presence of solid buildings made of irregular stone and plaster. When they were destroyed, they were filled with rubble and ceramic debris from the medieval and modern age. The area showed also the existence of a garden, substantiated with de discovery of a tank or artificial lake, right next to a black and white pebble pavement, with geometric decorative designs.
Original languagePortuguese
Title of host publicationI Encontro de Arqueologia de Lisboa
Subtitle of host publicationUma cidade em escavação
EditorsAna Caessa, Cristina Nozes, Isabel Cameira, Rodrigo Banha da Silva
Place of PublicationLisboa
PublisherCentro de Arqueologia de Lisboa / Departamento de Património Cultural / Direção Municipal de Cultura / Câmara Municipal de Lisboa
Pages427-439
Number of pages12
ISBN (Print)978-972-8543-46-4
Publication statusPublished - 2017
EventI Encontro de Arqueologia de Lisboa: Uma cidade em escavação - Teatro Aberto, Lisboa, Portugal
Duration: 26 Nov 201527 Nov 2015

Conference

ConferenceI Encontro de Arqueologia de Lisboa
CountryPortugal
CityLisboa
Period26/11/1527/11/15

Keywords

  • Faiança
  • Grés
  • Pavimento
  • Estruturas
  • Jardim
  • German stoneware
  • Pavement
  • Archaeological structures
  • Garden

Cite this

Antunes, M. M. (2017). Testemunhos Arqueológicos na Rua do Jardim do Regedor nº 10 a 32, Lisboa. In A. Caessa, C. Nozes, I. Cameira, & R. Banha da Silva (Eds.), I Encontro de Arqueologia de Lisboa: Uma cidade em escavação (pp. 427-439). Lisboa: Centro de Arqueologia de Lisboa / Departamento de Património Cultural / Direção Municipal de Cultura / Câmara Municipal de Lisboa.
Antunes, Márcio Martingil. / Testemunhos Arqueológicos na Rua do Jardim do Regedor nº 10 a 32, Lisboa. I Encontro de Arqueologia de Lisboa: Uma cidade em escavação. editor / Ana Caessa ; Cristina Nozes ; Isabel Cameira ; Rodrigo Banha da Silva. Lisboa : Centro de Arqueologia de Lisboa / Departamento de Património Cultural / Direção Municipal de Cultura / Câmara Municipal de Lisboa, 2017. pp. 427-439
@inproceedings{3ed4232bab0c4b509709c9c298bbfa85,
title = "Testemunhos Arqueol{\'o}gicos na Rua do Jardim do Regedor nº 10 a 32, Lisboa",
abstract = "O artigo que se segue respeita aos testemunhos arqueol{\'o}gicos encontrados durante a interven{\cc}{\~a}o na Rua do Jardim do Regedor, nº 10 a 32, Lisboa. Localizado “fora dos muros” da Lisboa Medieval e Moderna, na antiga Rua da Mancebia, junto {\`a}s Portas de Santo Ant{\~a}o,o local {\'e} mencionado pela historiografia como apenas uma zona de hortas ou de constru{\cc}{\~a}o abarracada. Todavia, os trabalhos efectuados demonstram que ter{\'a} existido “constru{\cc}{\~a}o s{\'o}lida” atrav{\'e}s da descoberta de estrutura constitu{\'i}da por elementos p{\'e}treos disformes com ligante em argila e de outra tamb{\'e}m com elementos p{\'e}treos, argila e argamassa. Ambas, no seu momento de abandono ou destrui{\cc}{\~a}o parecem ter sido entulhadas com detritos cer{\^a}micos de {\'e}poca medieval/moderna.O espa{\cc}o revelou ainda uma poss{\'i}vel {\'a}rea de jardins fundamentada por uma estrutura que aparenta corresponder a um tanque de armazenamento de {\'a}gua ou a um lago artificial, visto ter imediatamente a seu lado uma zona calcetada com seixo de rio de pequena dimens{\~a}o, de colora{\cc}{\~a}o preta, delimitada por seixos de m{\'e}dia dimens{\~a}o de colora{\cc}{\~a}o branca, e com motivos geom{\'e}tricos decorativos no interior a branco.The following study concerns the archaeological remains discovered during the works that took place in Rua do Jardom do Regedor, nº10-32, Lisboa. Located outside the Medieval and Modern city wall, in the old Rua da Mancebia, close to Portas de Santo Ant{\~a}o, the location is mentioned in documents as an area with fields and precarious wooden buildings. However, the archaeological work showed that the reality was a bit different, with the presence of solid buildings made of irregular stone and plaster. When they were destroyed, they were filled with rubble and ceramic debris from the medieval and modern age. The area showed also the existence of a garden, substantiated with de discovery of a tank or artificial lake, right next to a black and white pebble pavement, with geometric decorative designs.",
keywords = "Faian{\cc}a, Gr{\'e}s, Pavimento, Estruturas, Jardim, German stoneware, Pavement, Archaeological structures, Garden",
author = "Antunes, {M{\'a}rcio Martingil}",
year = "2017",
language = "Portuguese",
isbn = "978-972-8543-46-4",
pages = "427--439",
editor = "Caessa, {Ana } and Cristina Nozes and Isabel Cameira and {Banha da Silva}, Rodrigo",
booktitle = "I Encontro de Arqueologia de Lisboa",
publisher = "Centro de Arqueologia de Lisboa / Departamento de Patrim{\'o}nio Cultural / Dire{\cc}{\~a}o Municipal de Cultura / C{\^a}mara Municipal de Lisboa",

}

Antunes, MM 2017, Testemunhos Arqueológicos na Rua do Jardim do Regedor nº 10 a 32, Lisboa. in A Caessa, C Nozes, I Cameira & R Banha da Silva (eds), I Encontro de Arqueologia de Lisboa: Uma cidade em escavação. Centro de Arqueologia de Lisboa / Departamento de Património Cultural / Direção Municipal de Cultura / Câmara Municipal de Lisboa, Lisboa, pp. 427-439, I Encontro de Arqueologia de Lisboa, Lisboa, Portugal, 26/11/15.

Testemunhos Arqueológicos na Rua do Jardim do Regedor nº 10 a 32, Lisboa. / Antunes, Márcio Martingil.

I Encontro de Arqueologia de Lisboa: Uma cidade em escavação. ed. / Ana Caessa; Cristina Nozes; Isabel Cameira; Rodrigo Banha da Silva. Lisboa : Centro de Arqueologia de Lisboa / Departamento de Património Cultural / Direção Municipal de Cultura / Câmara Municipal de Lisboa, 2017. p. 427-439.

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

TY - GEN

T1 - Testemunhos Arqueológicos na Rua do Jardim do Regedor nº 10 a 32, Lisboa

AU - Antunes, Márcio Martingil

PY - 2017

Y1 - 2017

N2 - O artigo que se segue respeita aos testemunhos arqueológicos encontrados durante a intervenção na Rua do Jardim do Regedor, nº 10 a 32, Lisboa. Localizado “fora dos muros” da Lisboa Medieval e Moderna, na antiga Rua da Mancebia, junto às Portas de Santo Antão,o local é mencionado pela historiografia como apenas uma zona de hortas ou de construção abarracada. Todavia, os trabalhos efectuados demonstram que terá existido “construção sólida” através da descoberta de estrutura constituída por elementos pétreos disformes com ligante em argila e de outra também com elementos pétreos, argila e argamassa. Ambas, no seu momento de abandono ou destruição parecem ter sido entulhadas com detritos cerâmicos de época medieval/moderna.O espaço revelou ainda uma possível área de jardins fundamentada por uma estrutura que aparenta corresponder a um tanque de armazenamento de água ou a um lago artificial, visto ter imediatamente a seu lado uma zona calcetada com seixo de rio de pequena dimensão, de coloração preta, delimitada por seixos de média dimensão de coloração branca, e com motivos geométricos decorativos no interior a branco.The following study concerns the archaeological remains discovered during the works that took place in Rua do Jardom do Regedor, nº10-32, Lisboa. Located outside the Medieval and Modern city wall, in the old Rua da Mancebia, close to Portas de Santo Antão, the location is mentioned in documents as an area with fields and precarious wooden buildings. However, the archaeological work showed that the reality was a bit different, with the presence of solid buildings made of irregular stone and plaster. When they were destroyed, they were filled with rubble and ceramic debris from the medieval and modern age. The area showed also the existence of a garden, substantiated with de discovery of a tank or artificial lake, right next to a black and white pebble pavement, with geometric decorative designs.

AB - O artigo que se segue respeita aos testemunhos arqueológicos encontrados durante a intervenção na Rua do Jardim do Regedor, nº 10 a 32, Lisboa. Localizado “fora dos muros” da Lisboa Medieval e Moderna, na antiga Rua da Mancebia, junto às Portas de Santo Antão,o local é mencionado pela historiografia como apenas uma zona de hortas ou de construção abarracada. Todavia, os trabalhos efectuados demonstram que terá existido “construção sólida” através da descoberta de estrutura constituída por elementos pétreos disformes com ligante em argila e de outra também com elementos pétreos, argila e argamassa. Ambas, no seu momento de abandono ou destruição parecem ter sido entulhadas com detritos cerâmicos de época medieval/moderna.O espaço revelou ainda uma possível área de jardins fundamentada por uma estrutura que aparenta corresponder a um tanque de armazenamento de água ou a um lago artificial, visto ter imediatamente a seu lado uma zona calcetada com seixo de rio de pequena dimensão, de coloração preta, delimitada por seixos de média dimensão de coloração branca, e com motivos geométricos decorativos no interior a branco.The following study concerns the archaeological remains discovered during the works that took place in Rua do Jardom do Regedor, nº10-32, Lisboa. Located outside the Medieval and Modern city wall, in the old Rua da Mancebia, close to Portas de Santo Antão, the location is mentioned in documents as an area with fields and precarious wooden buildings. However, the archaeological work showed that the reality was a bit different, with the presence of solid buildings made of irregular stone and plaster. When they were destroyed, they were filled with rubble and ceramic debris from the medieval and modern age. The area showed also the existence of a garden, substantiated with de discovery of a tank or artificial lake, right next to a black and white pebble pavement, with geometric decorative designs.

KW - Faiança

KW - Grés

KW - Pavimento

KW - Estruturas

KW - Jardim

KW - German stoneware

KW - Pavement

KW - Archaeological structures

KW - Garden

M3 - Conference contribution

SN - 978-972-8543-46-4

SP - 427

EP - 439

BT - I Encontro de Arqueologia de Lisboa

A2 - Caessa, Ana

A2 - Nozes, Cristina

A2 - Cameira, Isabel

A2 - Banha da Silva, Rodrigo

PB - Centro de Arqueologia de Lisboa / Departamento de Património Cultural / Direção Municipal de Cultura / Câmara Municipal de Lisboa

CY - Lisboa

ER -

Antunes MM. Testemunhos Arqueológicos na Rua do Jardim do Regedor nº 10 a 32, Lisboa. In Caessa A, Nozes C, Cameira I, Banha da Silva R, editors, I Encontro de Arqueologia de Lisboa: Uma cidade em escavação. Lisboa: Centro de Arqueologia de Lisboa / Departamento de Património Cultural / Direção Municipal de Cultura / Câmara Municipal de Lisboa. 2017. p. 427-439