Stress e trabalho: Percepções de docentes terapeutas ocupacionais do Brasil e Portugal

Iranise Jorge Pereira, João Areosa

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

As transformações no cotidiano laboral docente vêm possibilitando, cada vez mais, a percepção de stress no ambiente de trabalho, o que deixa o trabalhador mais vulnerável ao sofrimento e ao adoecimento. Este artigo tem por objetivo identificar o nível de stress dos docentes, bem como apontar, entre as atividades relacionadas, as semelhanças e diferenças da percepção do stress entre os docentes terapeutas ocupacionais do Brasil e Portugal. O estudo foi construído a partir de uma abordagem quantitativa, exploratória, observacional e transversal. Utilizou o Questionário de Stress em Professores do Ensino Superior – QSPES, para a coleta de dados, e contou com uma amostra de 17 docentes do Brasil e 19 docentes de Portugal. Os resultados obtidos indicaram que 47,1% dos professores brasileiros revelaram uma percepção de “bastante stress” e 57,9% dos professores portugueses apresentam “stress moderado”, com destaque para as categorias de excesso de trabalho, trabalho burocrático/administrativo e produtividade científica. Sabemos que o stress é um elemento inalienável no cotidiano, por isso ressalta a necessidade de desenvolver estratégias e ações para minimizar a percepção do stress e do seu impacto na saúde e bem-estar dos docentes.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)139-157
Number of pages19
JournalInternational Journal on Work Condition
Issue number16
Publication statusPublished - 2018

Keywords

  • stress ocupacional
  • docentes
  • terapeutas ocupacionais

Cite this