Sondagem de Belverde (Bacia do Baixo Tejo, Península de Setúbal, Portugal)

João José Cardoso Pais, Carlos Silva Lopes, Paulo Alexandre Rodrigues Roque Legoinha, Elsa Ramalho, João Ferreira, Isabel Ribeiro, Ana Rita Amado, Lígia Nunes de Sousa Pereira de Castro, Luís Torres, Rui Baptista, Rui Pena dos Reis

Research output: Contribution to journalConference articlepeer-review

Abstract

[RESUMO] Apresentam-se resultados do estudo de uma sondagem profunda efectuada em Belverde (Península de Setúbal, 38º35’34,1’’/9º8’24,7’’) com vista ao reconhecimento do Neogénico do sector distal da Bacia do Baixo Tejo. Atingiu-se a profundidade de 619,77m. Foram atravessados 130,31m de areias plio-plistocénicas e cerca de 460 m de depósitos marinhos, com episódios salobros, do Miocénico. Na parte inferior foi reconhecido um recife de corais, com cerca de 50m de espessura, que assenta em conglomerados vermelhos, atribuídos ao “Complexo de Benfica”. Foram reconhecidas as unidades litostratigráficas clássicas do Miocénico da região de Lisboa bem como as sequências deposicionais. Os foraminíferos planctónicos permitiram estabelecer o quadro biostratigráfico que, associado a datações isotópicas (87Sr/86Sr), possibilitaram o enquadramento cronostratigráfico. Também foram identificas as sequências deposicionais anteriormente definidas na parte distal da Bacia do baixo Tejo. A sequência deposicional mais antiga conhecida em Lisboa (SDA1) parece não estar representada na sondagem de Belverde. Por outro lado, os depósitos miocénicos mais modernos forneceram N. acostaensis and N. humerosa, que são desconhecidas em afloramentos, e apontam para idade mais recente do que a dos últimos depósitos conhecidos na Península de Setúbal. Foram feitas diagrafias eléctricas [SPR (Single-point Resistance) e SP (Spontaneous Potential)], nucleares (Radiação Gama Natural – RGN – e Neutrões), Sónica e da coluna de fluido (Temperatura). É clara uma correlação entre ciclos de radiação gama e as sequências deposicionais.
(22) (PDF) Sondagem de Belverde (Bacia do Baixo Tejo, península de Setúbal, Portugal).

[ABSTRACT] Preliminary data concerning the Belverde borehole (coordenates: 38º35’34.1’’/9º8’24.7’’) are presented. The borehole reached 619,77 m. It crossed 130,31m of Pleisto-Pliocene continental deposits, 460 m of Miocene (mainly marine deposits; some marsh ones also occur). At the lower part, a coral reef with 50m thick was recognised. It overlays red continental conglomerates probably belonging to the "Benfica Group" supposed of Paleogene age. Miocene classical lithostratigraphic units established for the Lisbon region were recognised. The occurrence of main planktonic foraminifera markers and some 87Sr/86Sr isotopic ages were used to establish the chronostratigraphic framework. Complementar micropaleontological, palynological and clay minerals studies are being done. Electrical [SPR (Single-point Resistance) and SP (Spontaneous Potential)], natural gamma ray, neutron-neutron, sonic and temperature diagraphies were obtained.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)A99-A102
JournalCiências da Terra
Issue numberV(SI)
Publication statusPublished - 2003
EventVI Congresso Nacional de Geologia - Caparica, Portugal
Duration: 4 Jun 20036 Jun 2003

Keywords

  • sondagem
  • Bacia do Baixo Tejo
  • Neogénico
  • estratigrafia
  • Belverde
  • península de Setúbal
  • Portugal
  • borehole
  • Lower Tagus Basin
  • Neogene
  • stratigraphy

Cite this