Ribeiro, Anabela Mota (2016). Paula Rego por Paula Rego.

Lisboa: Temas & Debates/ Círculo de Leitores, 2016. 160 pp.

Research output: Contribution to journalBook/Film/Article review

1 Downloads (Pure)

Abstract

Paula Rego por Paula Rego é um livro em que Anabela Mota Ribeiro, a autora
que conduziu as cinco entrevistas que compõem este livro, qual jogo teatral, decide dar a Paula Rego a condução das conversas e deixar-se levar pela pintora para que voz destas e as narrativas que se desenrolam sobressaiam à medida que o diálogo progride. É Paula Rego a narrar-se a si própria, revelando as máscaras, os fragmentos de vida e de memórias que construíram a pintora e o seu imaginário. Anabela Mota Ribeiro deixa-se levar, estimulando o ato criativo em que se torna o diálogo, compondo-o formalmente apenas. Ao leitor cabe abandonar-se ao deslumbramento de ver nascer e crescer da narrativa uma identidade profundamente humana.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)251-253
Number of pages3
JournalDiacríitica
Volume31
Issue number2
DOIs
Publication statusPublished - 2018

Keywords

  • Paula Rego
  • Interviews
  • Feminism
  • Beauty
  • Grotesque

Cite this

@article{b5666346ecc649f28fc58d4ecbcee8df,
title = "Ribeiro, Anabela Mota (2016). Paula Rego por Paula Rego.: Lisboa: Temas & Debates/ C{\'i}rculo de Leitores, 2016. 160 pp.",
abstract = "Paula Rego por Paula Rego {\'e} um livro em que Anabela Mota Ribeiro, a autoraque conduziu as cinco entrevistas que comp{\~o}em este livro, qual jogo teatral, decide dar a Paula Rego a condu{\cc}{\~a}o das conversas e deixar-se levar pela pintora para que voz destas e as narrativas que se desenrolam sobressaiam {\`a} medida que o di{\'a}logo progride. {\'E} Paula Rego a narrar-se a si pr{\'o}pria, revelando as m{\'a}scaras, os fragmentos de vida e de mem{\'o}rias que constru{\'i}ram a pintora e o seu imagin{\'a}rio. Anabela Mota Ribeiro deixa-se levar, estimulando o ato criativo em que se torna o di{\'a}logo, compondo-o formalmente apenas. Ao leitor cabe abandonar-se ao deslumbramento de ver nascer e crescer da narrativa uma identidade profundamente humana.",
keywords = "Paula Rego, Interviews, Feminism, Beauty, Grotesque",
author = "Margarida Rendeiro",
note = "info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147248/PT# UID/HIS/04666/2013",
year = "2018",
doi = "10.21814/diacritica.241",
language = "Portuguese",
volume = "31",
pages = "251--253",
journal = "Diacr{\'i}itica",
issn = "0807-8967",
number = "2",

}

Ribeiro, Anabela Mota (2016). Paula Rego por Paula Rego. Lisboa: Temas & Debates/ Círculo de Leitores, 2016. 160 pp. / Rendeiro, Margarida.

In: Diacríitica, Vol. 31, No. 2, 2018, p. 251-253.

Research output: Contribution to journalBook/Film/Article review

TY - JOUR

T1 - Ribeiro, Anabela Mota (2016). Paula Rego por Paula Rego.

T2 - Lisboa: Temas & Debates/ Círculo de Leitores, 2016. 160 pp.

AU - Rendeiro, Margarida

N1 - info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147248/PT# UID/HIS/04666/2013

PY - 2018

Y1 - 2018

N2 - Paula Rego por Paula Rego é um livro em que Anabela Mota Ribeiro, a autoraque conduziu as cinco entrevistas que compõem este livro, qual jogo teatral, decide dar a Paula Rego a condução das conversas e deixar-se levar pela pintora para que voz destas e as narrativas que se desenrolam sobressaiam à medida que o diálogo progride. É Paula Rego a narrar-se a si própria, revelando as máscaras, os fragmentos de vida e de memórias que construíram a pintora e o seu imaginário. Anabela Mota Ribeiro deixa-se levar, estimulando o ato criativo em que se torna o diálogo, compondo-o formalmente apenas. Ao leitor cabe abandonar-se ao deslumbramento de ver nascer e crescer da narrativa uma identidade profundamente humana.

AB - Paula Rego por Paula Rego é um livro em que Anabela Mota Ribeiro, a autoraque conduziu as cinco entrevistas que compõem este livro, qual jogo teatral, decide dar a Paula Rego a condução das conversas e deixar-se levar pela pintora para que voz destas e as narrativas que se desenrolam sobressaiam à medida que o diálogo progride. É Paula Rego a narrar-se a si própria, revelando as máscaras, os fragmentos de vida e de memórias que construíram a pintora e o seu imaginário. Anabela Mota Ribeiro deixa-se levar, estimulando o ato criativo em que se torna o diálogo, compondo-o formalmente apenas. Ao leitor cabe abandonar-se ao deslumbramento de ver nascer e crescer da narrativa uma identidade profundamente humana.

KW - Paula Rego

KW - Interviews

KW - Feminism

KW - Beauty

KW - Grotesque

U2 - 10.21814/diacritica.241

DO - 10.21814/diacritica.241

M3 - Book/Film/Article review

VL - 31

SP - 251

EP - 253

JO - Diacríitica

JF - Diacríitica

SN - 0807-8967

IS - 2

ER -