Revolução e resistência na obra musical de José Mário Branco

Research output: Contribution to conferencePaper

Abstract

Compositor e arranjador musical prolífero, letrista, director e produtor musical, José Mário Branco 8n. 1942) ocupa um lugar de relevo no panoram da música popular em Portugal das últimas quatro décadas. O seu percurso pessoal e artístico foi muito marcado pela luta política e social, tendo-se traduzido em obras como "A cantiga é uma arma", "Queixa das almas jovens censuradas", "Ser solidário" ou " Ronda do soldadinho", entre outras. Nesta comunicação tenho por objectivo observar como sentimentos de revolta e resistência encontram expressão na obra musical de José Mário Branco, tendo como ponto de partida o arquivo documental e musical cedido ao CESEM para digitalização, organização e inventariação. Irei abordar em particular álbuns como "A Mãe" (1978), resulyadp da colaboração de Branco com o Teatro da Comuna no ano anterior, "FMI" (1982) e "Resistir é vencer" (2004), resultado de um espectáculo com o mesmo nome e que reúne algumas das suas composições mais reconhecidas.
Original languagePortuguese
Publication statusPublished - 2016
EventConferência Internacional Canção de Protesto e Mudança Social - FCSH/NOVA, Lisboa, Portugal
Duration: 15 Jun 201617 Jun 2016
http://www.icpsong16.org/

Conference

ConferenceConferência Internacional Canção de Protesto e Mudança Social
CountryPortugal
CityLisboa
Period15/06/1617/06/16
Internet address

Cite this