Revisitando a Cartografia Náutica Portuguesa Antiga do Atlântico: uma análise quantitativa

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

Abstract

Somente um pequeno número de cartas portuguesas do século XV e início do século XVI chegou até nós, muito embora já existisse cartografia náutica em Portugal no tempo do Infante D. Henrique. Estas cartas têm sido estudadas do ponto da vista geográfico e histórico, tendo-se estabelecido, em algumas delas, estreitas correlações com a cronologia dos descobrimentos no Atlântico. Menos conhecidas são as suas propriedades geométricas e náuticas, nunca tendo sido realizado qualquer estudo cartométrico sistemático que permita uma melhor compreensão de como foram construídas, e de que modo a introdução dos métodos astronómicos de navegação influenciou a sua geometria. Nesta comunicação, são apresentados e discutidos os resultados de uma análise cartométrica efectuada em algumas cartas náuticas portuguesas do Atlântico, entre c. 1471 e 1502. A análise inclui os seguintes componentes: uma avaliação da exactidão das cartas para a navegação, que consistiu na medição dos erros de latitudes, rumos e distâncias; a interpolação das redes de meridianos e paralelos que está implícita em cada uma das representações, utilizando uma amostra de pontos de coordenadas conhecidas; e a simulação da sua geometria, através de um modelo numérico que tem em conta os métodos de navegação praticados na época e a distribuição espacial da declinação magnética, obtiva através de fontes históricase de um modelo geomagnético recente. Dos resultados obtidos puderam retirar-se conclusões historicamente relevantes sobre os métodos e pormenores técnicos relativos à construção das cartas e às fontes da informação geográfica nelas contida. No caso do planisfério de Cantino, foi possível clarificar ou corrigir algumas ideias antigas sobre a sua origem, método de construção e exactidão, em particular no que diz respeito à representação do Brasil e da costa de África.
LanguageUnknown
Title of host publicationIII Simpósio Luso-Brasileiro de Cartografia Histórica
Pages1-19
StatePublished - 1 Jan 2009
EventIII Simpósio Luso-Brasileiro de Cartografia Histórica -
Duration: 1 Jan 2009 → …

Conference

ConferenceIII Simpósio Luso-Brasileiro de Cartografia Histórica
Period1/01/09 → …

Keywords

    Cite this

    Gaspar, J. F. F. A. (2009). Revisitando a Cartografia Náutica Portuguesa Antiga do Atlântico: uma análise quantitativa. In III Simpósio Luso-Brasileiro de Cartografia Histórica (pp. 1-19)
    @inproceedings{299d3bcf76fc4379b00c7ff2c28c0dcc,
    title = "Revisitando a Cartografia N{\'a}utica Portuguesa Antiga do Atl{\^a}ntico: uma an{\'a}lise quantitativa",
    abstract = "Somente um pequeno n{\'u}mero de cartas portuguesas do s{\'e}culo XV e in{\'i}cio do s{\'e}culo XVI chegou at{\'e} n{\'o}s, muito embora j{\'a} existisse cartografia n{\'a}utica em Portugal no tempo do Infante D. Henrique. Estas cartas t{\^e}m sido estudadas do ponto da vista geogr{\'a}fico e hist{\'o}rico, tendo-se estabelecido, em algumas delas, estreitas correla{\cc}{\~o}es com a cronologia dos descobrimentos no Atl{\^a}ntico. Menos conhecidas s{\~a}o as suas propriedades geom{\'e}tricas e n{\'a}uticas, nunca tendo sido realizado qualquer estudo cartom{\'e}trico sistem{\'a}tico que permita uma melhor compreens{\~a}o de como foram constru{\'i}das, e de que modo a introdu{\cc}{\~a}o dos m{\'e}todos astron{\'o}micos de navega{\cc}{\~a}o influenciou a sua geometria. Nesta comunica{\cc}{\~a}o, s{\~a}o apresentados e discutidos os resultados de uma an{\'a}lise cartom{\'e}trica efectuada em algumas cartas n{\'a}uticas portuguesas do Atl{\^a}ntico, entre c. 1471 e 1502. A an{\'a}lise inclui os seguintes componentes: uma avalia{\cc}{\~a}o da exactid{\~a}o das cartas para a navega{\cc}{\~a}o, que consistiu na medi{\cc}{\~a}o dos erros de latitudes, rumos e dist{\^a}ncias; a interpola{\cc}{\~a}o das redes de meridianos e paralelos que est{\'a} impl{\'i}cita em cada uma das representa{\cc}{\~o}es, utilizando uma amostra de pontos de coordenadas conhecidas; e a simula{\cc}{\~a}o da sua geometria, atrav{\'e}s de um modelo num{\'e}rico que tem em conta os m{\'e}todos de navega{\cc}{\~a}o praticados na {\'e}poca e a distribui{\cc}{\~a}o espacial da declina{\cc}{\~a}o magn{\'e}tica, obtiva atrav{\'e}s de fontes hist{\'o}ricase de um modelo geomagn{\'e}tico recente. Dos resultados obtidos puderam retirar-se conclus{\~o}es historicamente relevantes sobre os m{\'e}todos e pormenores t{\'e}cnicos relativos {\`a} constru{\cc}{\~a}o das cartas e {\`a}s fontes da informa{\cc}{\~a}o geogr{\'a}fica nelas contida. No caso do planisf{\'e}rio de Cantino, foi poss{\'i}vel clarificar ou corrigir algumas ideias antigas sobre a sua origem, m{\'e}todo de constru{\cc}{\~a}o e exactid{\~a}o, em particular no que diz respeito {\`a} representa{\cc}{\~a}o do Brasil e da costa de {\'A}frica.",
    keywords = "Cartografia n{\'a}utica, Planisf{\'e}rio de Cantino, Exactid{\~a}o das cartas, Portugal",
    author = "Gaspar, {Joaquim Filipe Figueiredo Alves}",
    year = "2009",
    month = "1",
    day = "1",
    language = "Unknown",
    pages = "1--19",
    booktitle = "III Simp{\'o}sio Luso-Brasileiro de Cartografia Hist{\'o}rica",

    }

    Gaspar, JFFA 2009, Revisitando a Cartografia Náutica Portuguesa Antiga do Atlântico: uma análise quantitativa. in III Simpósio Luso-Brasileiro de Cartografia Histórica. pp. 1-19, III Simpósio Luso-Brasileiro de Cartografia Histórica, 1/01/09.

    Revisitando a Cartografia Náutica Portuguesa Antiga do Atlântico: uma análise quantitativa. / Gaspar, Joaquim Filipe Figueiredo Alves.

    III Simpósio Luso-Brasileiro de Cartografia Histórica. 2009. p. 1-19.

    Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

    TY - GEN

    T1 - Revisitando a Cartografia Náutica Portuguesa Antiga do Atlântico: uma análise quantitativa

    AU - Gaspar,Joaquim Filipe Figueiredo Alves

    PY - 2009/1/1

    Y1 - 2009/1/1

    N2 - Somente um pequeno número de cartas portuguesas do século XV e início do século XVI chegou até nós, muito embora já existisse cartografia náutica em Portugal no tempo do Infante D. Henrique. Estas cartas têm sido estudadas do ponto da vista geográfico e histórico, tendo-se estabelecido, em algumas delas, estreitas correlações com a cronologia dos descobrimentos no Atlântico. Menos conhecidas são as suas propriedades geométricas e náuticas, nunca tendo sido realizado qualquer estudo cartométrico sistemático que permita uma melhor compreensão de como foram construídas, e de que modo a introdução dos métodos astronómicos de navegação influenciou a sua geometria. Nesta comunicação, são apresentados e discutidos os resultados de uma análise cartométrica efectuada em algumas cartas náuticas portuguesas do Atlântico, entre c. 1471 e 1502. A análise inclui os seguintes componentes: uma avaliação da exactidão das cartas para a navegação, que consistiu na medição dos erros de latitudes, rumos e distâncias; a interpolação das redes de meridianos e paralelos que está implícita em cada uma das representações, utilizando uma amostra de pontos de coordenadas conhecidas; e a simulação da sua geometria, através de um modelo numérico que tem em conta os métodos de navegação praticados na época e a distribuição espacial da declinação magnética, obtiva através de fontes históricase de um modelo geomagnético recente. Dos resultados obtidos puderam retirar-se conclusões historicamente relevantes sobre os métodos e pormenores técnicos relativos à construção das cartas e às fontes da informação geográfica nelas contida. No caso do planisfério de Cantino, foi possível clarificar ou corrigir algumas ideias antigas sobre a sua origem, método de construção e exactidão, em particular no que diz respeito à representação do Brasil e da costa de África.

    AB - Somente um pequeno número de cartas portuguesas do século XV e início do século XVI chegou até nós, muito embora já existisse cartografia náutica em Portugal no tempo do Infante D. Henrique. Estas cartas têm sido estudadas do ponto da vista geográfico e histórico, tendo-se estabelecido, em algumas delas, estreitas correlações com a cronologia dos descobrimentos no Atlântico. Menos conhecidas são as suas propriedades geométricas e náuticas, nunca tendo sido realizado qualquer estudo cartométrico sistemático que permita uma melhor compreensão de como foram construídas, e de que modo a introdução dos métodos astronómicos de navegação influenciou a sua geometria. Nesta comunicação, são apresentados e discutidos os resultados de uma análise cartométrica efectuada em algumas cartas náuticas portuguesas do Atlântico, entre c. 1471 e 1502. A análise inclui os seguintes componentes: uma avaliação da exactidão das cartas para a navegação, que consistiu na medição dos erros de latitudes, rumos e distâncias; a interpolação das redes de meridianos e paralelos que está implícita em cada uma das representações, utilizando uma amostra de pontos de coordenadas conhecidas; e a simulação da sua geometria, através de um modelo numérico que tem em conta os métodos de navegação praticados na época e a distribuição espacial da declinação magnética, obtiva através de fontes históricase de um modelo geomagnético recente. Dos resultados obtidos puderam retirar-se conclusões historicamente relevantes sobre os métodos e pormenores técnicos relativos à construção das cartas e às fontes da informação geográfica nelas contida. No caso do planisfério de Cantino, foi possível clarificar ou corrigir algumas ideias antigas sobre a sua origem, método de construção e exactidão, em particular no que diz respeito à representação do Brasil e da costa de África.

    KW - Cartografia náutica

    KW - Planisfério de Cantino

    KW - Exactidão das cartas

    KW - Portugal

    M3 - Conference contribution

    SP - 1

    EP - 19

    BT - III Simpósio Luso-Brasileiro de Cartografia Histórica

    ER -

    Gaspar JFFA. Revisitando a Cartografia Náutica Portuguesa Antiga do Atlântico: uma análise quantitativa. In III Simpósio Luso-Brasileiro de Cartografia Histórica. 2009. p. 1-19.