Regular o contacto com o outro: o porto da Horta como espaço de fronteira no século XVIII

Research output: Contribution to conferenceAbstract

Abstract

A ilha do Faial era, no século XVIII, um importante ponto de passagem nas rotas que cruzavam o Atlântico. Na vila da Horta estavam presentes mercadores e representantes consulares de várias nacionalidades, assim como homens de negócio locais, alguns dos quais possuindo embarcações próprias. Além destes, circulavam pela ilha um sem número de pessoas e bens, através dos navios que aportavam à baía.
Estas presenças regulares foram objecto de especial atenção por parte das autoridades, resultando na criação de mecanismos específicos de regulamentação, assim como moldando a sociedade local, que se acostumou aos contactos com o exterior e aos proveitos que deles podiam resultar.
Esta comunicação pretende reflectir sobre o tema da fronteira como lugar de contacto, centrando-se na análise deste caso específico, sobretudo tentando perceber como as diversas entidades do governo local regulavam estas interacções. Que regras tinham de cumprir as embarcações que paravam nesta ilha? E os marinheiros, passageiros e mercadorias? Quem ditava essas regras e quem as fazia cumprir? Que restrições existiam? Que contactos eram estabelecidos com a população local? Quais eram as preocupações da Coroa e das entidades locais na regulamentação destes contactos? Como se processavam esses contactos? Que impactos tinham?
Original languagePortuguese
Pages39
Number of pages1
Publication statusPublished - Oct 2019
EventIlhas do Mar Oceano: formas de governança em espaço de fronteira - Casa dos Açores, Lisboa, Portugal
Duration: 14 Oct 201918 Oct 2019
http://ilhasdomaroceano.mozello.com/

Conference

ConferenceIlhas do Mar Oceano
CountryPortugal
CityLisboa
Period14/10/1918/10/19
Internet address

Cite this