Uma Leitura de Tanto Mar (1975, 1978) e de Meu Caro Amigo Chico (2012): utopia num diálogo entre amigos sobre a revolução

Translated title of the contribution: Reading “Tanto Mar” (1975, 1978) and Meu Caro Amigo Chico (2012): Utopia in a dialogue about the revolution between friends

Research output: Contribution to conferenceAbstractpeer-review

Abstract

Em 2012, Joana Barra Vaz realizou Meu Caro Amigo Chico, um documentário musical estruturado como resposta a Tanto Mar (1975, 1978) de Chico Buarque. Com a participação de vários músicos portugueses que cresceram a partir da década de 70, Meu Caro Amigo Chico é um filme que pensa Portugal, o país construído após a Revolução dos Cravos e imerso numa crise socioeconómica no fim da primeira década do Século XXI. O presente artigo defende que, neste filme e num contexto de pós-memória, o 25 de Abril, que despoletou uma onda de esperança a partir de 1974, representa a utopia partilhada em língua portuguesa em 2012, opondo-se a uma memória essencialmente despolitizada, incentivada pelo Neoliberalismo vigente e resultante de uma diagnose coletiva (Gil, 2004). Esta utopia não deixa de refletir a existência de um espaço atlântico que persiste latente no imaginário luso (Lourenço 2015), e que emerge como forma de ultrapassar a condição semiperiférica portuguesa (Santos, 2011).
Translated title of the contributionReading “Tanto Mar” (1975, 1978) and Meu Caro Amigo Chico (2012): Utopia in a dialogue about the revolution between friends
Original languagePortuguese
Publication statusPublished - 2018
EventCONGRESSO «A VOLTA AO MUNDO EM 40 ANOS»
Encontros e reencontros em língua portuguesa
- Varsóvia, Portugal
Duration: 12 Apr 201813 Apr 2018

Conference

ConferenceCONGRESSO «A VOLTA AO MUNDO EM 40 ANOS»
Encontros e reencontros em língua portuguesa
CountryPortugal
CityVarsóvia
Period12/04/1813/04/18

Keywords

  • Memória
  • Utopia
  • Revolução dos Cravos
  • Cinema
  • Lusofonia

Fingerprint

Dive into the research topics of 'Reading “Tanto Mar” (1975, 1978) and Meu Caro Amigo Chico (2012): Utopia in a dialogue about the revolution between friends'. Together they form a unique fingerprint.

Cite this