Práticas musicais no seio da Corte: importância das figuras femininas da aristocracia na perpetuação de modelos e no reforço da «ilusão dos salões»

Research output: Contribution to conferencePaper

Abstract

O papel da Coroa como entidade promotora de festividades públicas, coincide com uma actividade musical intensa no espaço interior e privado da Família Real. No que concerne às práticas musicais na corte a influência de D. Maria Ana de Áustria (1683-1754) foi marcante ao introduzir o costume de celebrar nos seus aposentos ou nos de D. João V, seu marido, festas de aniversário ou dias onomástico. Promoveu ainda a realização de récitas, cantatas, serenatas e representação no Paço que contavam entre os convidados com membros ilustres da nobreza, para além a Família Real, os quais podiam participar activamente nos eventos ao lado dos músicos profissionais. A partir deste modelo partiremos para uma análise da sua perpetuação durante a segunda metade do século XVIII através de figuras como D. Maria Victória e as suas filhas (a futura D. Maria I e as suas irmâs) e D. Carlota Joaquina, articulando com o salão cosmopolita ao mais alto nível, que ilustra um outra metáfora - a da "ilusão dos salões" da autoria da Condessa do Vimieiro - que revela um elevado grau de consciência em relação à ficção de proximidade dos principais centros europeus entre si.

Conference

ConferenceColóquio Da Real Barraca ao Paço da Ajuda: a música em torno da família real.
CountryPortugal
Citylisboa
Period27/10/17 → …
Internet address

Keywords

  • Práticas musicais
  • Corte
  • Figuras femininas
  • Aristocracia
  • "Ilusão dos salões"
  • Portugal

Cite this

Sá, V. D. (2016). Práticas musicais no seio da Corte: importância das figuras femininas da aristocracia na perpetuação de modelos e no reforço da «ilusão dos salões». Paper presented at Colóquio Da Real Barraca ao Paço da Ajuda: a música em torno da família real. , lisboa, Portugal.