Práticas e representações dos diretores escolares sobre a retenção: uma realidade em oito concelhos do interior de Portugal

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

Abstract

Portugal apresenta uma das mais altas taxas de retenção da Europa. A literatura desaconselha esta prática e a legislação evidencia a excecionalidade desta medida. Pereira e Reis (2012) sublinharam que a retenção não se prende apenas com a capacidade dos alunos, mas também com variáveis, tais como a família, a escola e a própria região. Com base no estudo de Justino et al. (2014), que tipificou os concelhos do país em função de práticas de seletividade ou integração escolar, foi selecionada uma área geográfica no interior de Portugal, mais concretamente oito concelhos da região do Alentejo. Esta comunicação
teve como objetivo analisar as representações dos diretores escolares sobre a
retenção escolar bem como as práticas adotadas nas escolas relativas à retenção escolar.
Neste estudo participaram nove diretores de agrupamentos de escola aos quais foi aplicada uma entrevista semiestruturada centrada em três eixos temáticos: práticas adotadas relativamente à retenção; representações sobre a retenção tendo em conta o contexto educativo e medidas implementadas para envolvimento dos encarregados de educação (EE) e as representações dos diretores sobre esse envolvimento. Para análise das entrevistas foi usada a técnica da análise de conteúdo temática com recurso ao programa MAXQDA.
Em relação aos resultados, como práticas adotadas relativamente à retenção foi referido que os critérios de tomada de decisão são analisados caso a caso. O apoio ao estudo foi a medida de promoção de sucesso educativo mais usual. Após a 1.ª retenção foram aplicados planos de acompanhamento aos alunos e a partir da 2.ª retenção foi recomendada a frequência noutra oferta formativa. Como representações sobre a retenção foi referido que a taxa de retenção nos agrupamentos se devia ao baixo envolvimento das famílias, sendo que a mesma poderia diminuir se a família se envolvesse mais. No que respeita às
medidas implementadas para envolvimento dos EE e a representação dos diretores sobre esse envolvimento foi identificada a realização de reuniões. De sublinhar que eram os EE dos alunos retidos os que menos se envolviam no processo educativo.
Original languageEnglish
Title of host publicationIII Enjie – Encontro Nacional de Jovens Investigadores em Educação
Subtitle of host publicationDesigualdades sociais e educativas: que lugar na investigação?
EditorsSónia Vladimira Correia, Maria Manuel Ricardo, Rosa Serradas Duarte
Place of PublicationLisboa
PublisherCentro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento (CeiED), Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Pages340-349
Number of pages9
ISBN (Electronic)978-989-757-109-1
Publication statusPublished - 2019

Keywords

  • Diretores escolares
  • Representações sobre a retenção escolar
  • Práticas de retenção

Fingerprint Dive into the research topics of 'Práticas e representações dos diretores escolares sobre a retenção: uma realidade em oito concelhos do interior de Portugal'. Together they form a unique fingerprint.

  • Cite this

    Santana, M. R., Justino, D., & Almeida, S. (2019). Práticas e representações dos diretores escolares sobre a retenção: uma realidade em oito concelhos do interior de Portugal. In S. V. Correia, M. M. Ricardo, & R. S. Duarte (Eds.), III Enjie – Encontro Nacional de Jovens Investigadores em Educação: Desigualdades sociais e educativas: que lugar na investigação? (pp. 340-349). Lisboa: Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento (CeiED), Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.