Políticas da interpretação no teatro de ópera

Research output: Contribution to conferenceAbstract

1 Downloads (Pure)

Abstract

De que falamos quando falamos de políticas da interpretação no teatro de ópera? Entre outras coisas, do próprio alcance do conceito de interpretação, e portanto, de um conjunto de questões de que a filosofia se tem ocupado no âmbito da teoria hermenêutica: o lugar ontológico do sentido, a tensão entre reprodução e emergência do significado, a pretensa autoridade do autor, as miragens da fidelidade ao texto, a margem de arbitrariedade permitida ao intérprete, a atitude do “recetor” (designação, aliás, sumamente equívoca, assente num dualismo questionável). Podemos hoje subscrever o anátema lançado sobre (quase toda) a interpretação por Susan Sontag num texto célebre? Ou estamos inevitavelmente condenados, enquanto agentes culturais, à interpretação, senão mesmo aos excessos da sobre-interpretação? Os debates neste domínio estendem-se, na teoria como na prática, aos palcos do teatro de ópera, sobretudo no quadro das transformações dos critérios interpretativos musicais e da renovação das linguagens teatrais nas últimas décadas – naquilo em que alguns veem, euforicamente, uma reinvenção da ópera como espetáculo total, e outros, uma demonstração do niilismo pós-moderno. Quais as potencialidades e os limites de algumas das tendências atualmente em confronto, e quais as suas implicações no presente contexto politico-cultural, é o tema sobre o qual propomos uma reflexão.
Original languagePortuguese
Publication statusPublished - 2014
EventEstética e Política entre as Artes - Culturgest, Lisboa, Portugal
Duration: 11 Jun 2014 → …

Conference

ConferenceEstética e Política entre as Artes
CountryPortugal
CityLisboa
Period11/06/14 → …

Keywords

  • Ópera
  • Estética
  • Política

Cite this

Castro, P. M. R. F. D. (2014). Políticas da interpretação no teatro de ópera. Abstract from Estética e Política entre as Artes , Lisboa, Portugal.