Pensar o que não se perde — práticas artísticas e patrimonialização

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

2 Downloads (Pure)

Abstract

O presente texto resulta do encontro entre quatro projectos (Soya Kutu — estória curta de Inês Castaño e Luisa Metelo, Casa do Vapor, representado por Diana Pereira, Dois Dias Edições, de Sofia Gonçalves e Rui Paiva e A Viagem de Filipa Francisco) sendo uma continuação do painel de discussão acerca de práticas artísticas contemporâneas de diferentes territórios disciplinares, que convergem em acções promotoras de autoconsciência cultural e da cidadania activa, através da relação com o património e da prática artística colaborativa.
Importa trazer para o âmbito da patrimonialização exemplos da prática artística contemporânea enquanto movimento autónomo que estabelece uma relação com o património, agindo de forma crítica sobre o mesmo, usando-o enquanto matéria produtiva.
Os projectos convocados tomam a autonomia como princípio, são acções auto-propostas, com uma mesma raiz crítica e de naturezas disciplinares díspares, debatendo acerca da relação entre a criação contemporânea e a educação como agentes de relação entre passado, presente e futuro.

The text here presented results from the encounter between four projects (Soya Kutu — short story by Inês Castaño and Luisa Metelo, Casa do Vapor represented by Diana Pereira, Dois Dias Edições by Sofia Gonçalves and Rui Paiva and A Viagem by Filipa Francisco). It follows the discussion panel on contemporary artistic practices from disparate disciplinary territories which promote self-cultural consciousness and active citizenship by enabling an active relation with heritage and a collaborative artistic practice. Within the scope of heritagization, it is significant to bring forward examples of contemporary artistic practice as an autonomous movement acting critically over heritage and using it as a productive matter. With different disciplinary natures, taking autonomy as a principle, this projects are self-proposed actions sharing the same critical root — to debate on the nexus between contemporary creation and education as agents that link past, present and future.
Original languagePortuguese
Title of host publicationPatrimonialização e Sustentabilidade do Património
Subtitle of host publicationReflexão e Prospectiva
EditorsGraça Filipe, José Vale, Inês Castaño
Place of PublicationLisboa
PublisherIHC-FCSH-UNL
Pages286-302
Number of pages17
ISBN (Print)978-989-98388-4-0
Publication statusPublished - 2018
EventPatrimonialização e Sustentabilidade do Património: Reflexão e Prospectiva - FCSH-NOVA, Lisboa, Portugal
Duration: 27 Nov 201429 Nov 2014
http://www.fcsh.unl.pt/media/eventos/patrimonializacao-e-sustentabilidade-do-patrimonio-reflexao-e-prospectiva

Conference

ConferencePatrimonialização e Sustentabilidade do Património: Reflexão e Prospectiva
CountryPortugal
CityLisboa
Period27/11/1429/11/14
Internet address

Keywords

  • Criação contemporânea
  • Patrimonialização
  • Aprendizagem
  • Colaboração
  • Contemporary creation
  • Collaboration
  • Learning
  • Heritagization

Cite this

Filipa Abreu de Castaño, I., & Sales Metello Seixas , L. (2018). Pensar o que não se perde — práticas artísticas e patrimonialização. In G. Filipe, J. Vale, & I. Castaño (Eds.), Patrimonialização e Sustentabilidade do Património: Reflexão e Prospectiva (pp. 286-302). Lisboa: IHC-FCSH-UNL.