Pedra na Arquitectura: Conhecer para projectar

Research output: Contribution to journalArticlepeer-review

Abstract

O conceito de rocha ornamental que se apresenta neste trabalho subentende que uma rocha ornamental não é diferente de si própria só por assim ser designada. Ser rocha ornamental significa apenas que o seu aspecto agrada a quem a utiliza e atende a especificações de natureza técnica que permitem o seu uso como tal. Este conceito acentua-se com o objectivo de deixar claro que as rochas têm composições químicas, mineralógicas e um arranjo estrutural próprios que são responsáveis pelas suas características e comportamentos, independente de serem ou não usadas como ornamentais. Outro conceito, difundido entre vários utilizadores de rochas, está relacionado com o uso generalizado dos termos "granito" para rochas ditas "duras" e "mármore" para aquelas de composição carbonatada, "menos duras", mais fáceis de serem trabalhadas. Embora o uso destes termos seja corrente é necessária a sua compreensão. Entre os "granitos" estão incluídas rochas de natureza variada em que o factor comum é a composição silicatada: os minerais presentes são silicatos, minerais duros, em geral mais resistentes. No caso dos "mármores", em que muitos calcários também estão incluídos, os minerais componentes são essencialmente carbonatos, minerais menos duros e portanto menos resistentes. A variedade de minerais conhecidos na natureza é grande, ao contrário do número de minerais que ocorre nas rochas com maior frequência (minerais formadores de rochas). As associações de minerais, o seu arranjo e os processos de formação são distintos, originando tipos de rochas diferentes. Rochas com a mesma composição química e mineralógica poderão ter aspectos diferentes; a predominância de minerais claros ou escuros terá implicações na sua tonalidade; a rocha pode ser compacta ou conter espaços vazios; pode ser fina ou grosseira, em termos de granularidade, dependendo estes factores do local e das circunstâncias em que se deu a sua consolidação. Tendo diversas variáveis, é de esperar que o produto resultante se traduza em diferentes tipos de rochas. Para que melhor se compreenda o papel de cada um desses factores apresenta-se uma classificação breve das rochas definindo o papel de cada parâmetro na caracterização de cada tipo de rocha.

Original languagePortuguese
Pages (from-to)116-121
Number of pages6
JournalArquitectura & Vida
Volume79
Publication statusPublished - 1 Jan 2007

Cite this