Paris em Lisboa, 1913

sobre o papel das vivências da música na produção de um quotidiano ‘elegante’

Research output: Contribution to conferenceAbstract

Abstract

No ano em que decorre a estreia de Le Sacre du Printemps no Théâtre des Champs Élysées, Paris era encarada – na sua produção social dos espaços, ideias e experiências da urbanidade, como na exaltação do seu meio artístico e cultural -, como o símbolo por excelência da metrópole moderna. As figuras que aí se cruzavam, os acontecimentos artísticos, políticos, sociais, os lugares de encontro e produção destas dinâmicas de distinção, eram encarados como modelos de inspiração, representação e inquirição. Os estilos de vida, as práticas e comportamentos dos seus círculos mundanos, – cruzando-se discursos e utopias, com as vivências do quotidiano da cidade – tidos como a imagem, por excelência, do bom gosto e da distinção. Nesta comunicação, proponho-me inquirir, e enquadrar, a produção e vivência das práticas musicais no quotidiano Lisboeta como aspectos específicos da (re)produção de um “estilo de vida” alegadamente Parisiense. A construção de padrões de comportamento de uma
vida “elegante” será abordada, em parte, a partir da imprensa ilustrada da época. As perspectivas a que recorro nesta indagação, enquadram-se num campo interdisciplinar que, partindo do domínio da sociologia da música, integra métodos e conceitos da sociologia e da história cultural, dos estudos culturais e dos estudos do género, traçando um quadro teórico ancorado nomeadamente em Perrot, Chartier, Corbin, Bourdieu, Lefebvre, Foucault, Elias, DeNora, entre outros.
Original languagePortuguese
Pages1
Number of pages1
Publication statusPublished - 2013
EventSimpósio Cem Anos de Sagração da Primavera 1913-­2013 - Teatro Nacional de S. Carlos, Lisboa, Portugal
Duration: 27 Jul 201328 Jul 2013

Conference

ConferenceSimpósio Cem Anos de Sagração da Primavera 1913-­2013
CountryPortugal
CityLisboa
Period27/07/1328/07/13

Keywords

  • Lisboa
  • Paris
  • quotidiano
  • Sociologia

Cite this

Gomes-Ribeiro, P. (2013). Paris em Lisboa, 1913: sobre o papel das vivências da música na produção de um quotidiano ‘elegante’. 1. Abstract from Simpósio Cem Anos de Sagração da Primavera 1913-­2013, Lisboa, Portugal.
Gomes-Ribeiro, Paula . / Paris em Lisboa, 1913 : sobre o papel das vivências da música na produção de um quotidiano ‘elegante’. Abstract from Simpósio Cem Anos de Sagração da Primavera 1913-­2013, Lisboa, Portugal.1 p.
@conference{cf97f5adcc094f148f9ecc581192baac,
title = "Paris em Lisboa, 1913: sobre o papel das viv{\^e}ncias da m{\'u}sica na produ{\cc}{\~a}o de um quotidiano ‘elegante’",
abstract = "No ano em que decorre a estreia de Le Sacre du Printemps no Th{\'e}{\^a}tre des Champs {\'E}lys{\'e}es, Paris era encarada – na sua produ{\cc}{\~a}o social dos espa{\cc}os, ideias e experi{\^e}ncias da urbanidade, como na exalta{\cc}{\~a}o do seu meio art{\'i}stico e cultural -, como o s{\'i}mbolo por excel{\^e}ncia da metr{\'o}pole moderna. As figuras que a{\'i} se cruzavam, os acontecimentos art{\'i}sticos, pol{\'i}ticos, sociais, os lugares de encontro e produ{\cc}{\~a}o destas din{\^a}micas de distin{\cc}{\~a}o, eram encarados como modelos de inspira{\cc}{\~a}o, representa{\cc}{\~a}o e inquiri{\cc}{\~a}o. Os estilos de vida, as pr{\'a}ticas e comportamentos dos seus c{\'i}rculos mundanos, – cruzando-se discursos e utopias, com as viv{\^e}ncias do quotidiano da cidade – tidos como a imagem, por excel{\^e}ncia, do bom gosto e da distin{\cc}{\~a}o. Nesta comunica{\cc}{\~a}o, proponho-me inquirir, e enquadrar, a produ{\cc}{\~a}o e viv{\^e}ncia das pr{\'a}ticas musicais no quotidiano Lisboeta como aspectos espec{\'i}ficos da (re)produ{\cc}{\~a}o de um “estilo de vida” alegadamente Parisiense. A constru{\cc}{\~a}o de padr{\~o}es de comportamento de umavida “elegante” ser{\'a} abordada, em parte, a partir da imprensa ilustrada da {\'e}poca. As perspectivas a que recorro nesta indaga{\cc}{\~a}o, enquadram-se num campo interdisciplinar que, partindo do dom{\'i}nio da sociologia da m{\'u}sica, integra m{\'e}todos e conceitos da sociologia e da hist{\'o}ria cultural, dos estudos culturais e dos estudos do g{\'e}nero, tra{\cc}ando um quadro te{\'o}rico ancorado nomeadamente em Perrot, Chartier, Corbin, Bourdieu, Lefebvre, Foucault, Elias, DeNora, entre outros.",
keywords = "Lisboa, Paris, quotidiano, Sociologia",
author = "Paula Gomes-Ribeiro",
note = "info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/136075/PT# PEst-OE/EAT/UI0693/2014 ; null ; Conference date: 27-07-2013 Through 28-07-2013",
year = "2013",
language = "Portuguese",
pages = "1",

}

Gomes-Ribeiro, P 2013, 'Paris em Lisboa, 1913: sobre o papel das vivências da música na produção de um quotidiano ‘elegante’' Simpósio Cem Anos de Sagração da Primavera 1913-­2013, Lisboa, Portugal, 27/07/13 - 28/07/13, pp. 1.

Paris em Lisboa, 1913 : sobre o papel das vivências da música na produção de um quotidiano ‘elegante’. / Gomes-Ribeiro, Paula .

2013. 1 Abstract from Simpósio Cem Anos de Sagração da Primavera 1913-­2013, Lisboa, Portugal.

Research output: Contribution to conferenceAbstract

TY - CONF

T1 - Paris em Lisboa, 1913

T2 - sobre o papel das vivências da música na produção de um quotidiano ‘elegante’

AU - Gomes-Ribeiro, Paula

N1 - info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/136075/PT# PEst-OE/EAT/UI0693/2014

PY - 2013

Y1 - 2013

N2 - No ano em que decorre a estreia de Le Sacre du Printemps no Théâtre des Champs Élysées, Paris era encarada – na sua produção social dos espaços, ideias e experiências da urbanidade, como na exaltação do seu meio artístico e cultural -, como o símbolo por excelência da metrópole moderna. As figuras que aí se cruzavam, os acontecimentos artísticos, políticos, sociais, os lugares de encontro e produção destas dinâmicas de distinção, eram encarados como modelos de inspiração, representação e inquirição. Os estilos de vida, as práticas e comportamentos dos seus círculos mundanos, – cruzando-se discursos e utopias, com as vivências do quotidiano da cidade – tidos como a imagem, por excelência, do bom gosto e da distinção. Nesta comunicação, proponho-me inquirir, e enquadrar, a produção e vivência das práticas musicais no quotidiano Lisboeta como aspectos específicos da (re)produção de um “estilo de vida” alegadamente Parisiense. A construção de padrões de comportamento de umavida “elegante” será abordada, em parte, a partir da imprensa ilustrada da época. As perspectivas a que recorro nesta indagação, enquadram-se num campo interdisciplinar que, partindo do domínio da sociologia da música, integra métodos e conceitos da sociologia e da história cultural, dos estudos culturais e dos estudos do género, traçando um quadro teórico ancorado nomeadamente em Perrot, Chartier, Corbin, Bourdieu, Lefebvre, Foucault, Elias, DeNora, entre outros.

AB - No ano em que decorre a estreia de Le Sacre du Printemps no Théâtre des Champs Élysées, Paris era encarada – na sua produção social dos espaços, ideias e experiências da urbanidade, como na exaltação do seu meio artístico e cultural -, como o símbolo por excelência da metrópole moderna. As figuras que aí se cruzavam, os acontecimentos artísticos, políticos, sociais, os lugares de encontro e produção destas dinâmicas de distinção, eram encarados como modelos de inspiração, representação e inquirição. Os estilos de vida, as práticas e comportamentos dos seus círculos mundanos, – cruzando-se discursos e utopias, com as vivências do quotidiano da cidade – tidos como a imagem, por excelência, do bom gosto e da distinção. Nesta comunicação, proponho-me inquirir, e enquadrar, a produção e vivência das práticas musicais no quotidiano Lisboeta como aspectos específicos da (re)produção de um “estilo de vida” alegadamente Parisiense. A construção de padrões de comportamento de umavida “elegante” será abordada, em parte, a partir da imprensa ilustrada da época. As perspectivas a que recorro nesta indagação, enquadram-se num campo interdisciplinar que, partindo do domínio da sociologia da música, integra métodos e conceitos da sociologia e da história cultural, dos estudos culturais e dos estudos do género, traçando um quadro teórico ancorado nomeadamente em Perrot, Chartier, Corbin, Bourdieu, Lefebvre, Foucault, Elias, DeNora, entre outros.

KW - Lisboa

KW - Paris

KW - quotidiano

KW - Sociologia

M3 - Abstract

SP - 1

ER -

Gomes-Ribeiro P. Paris em Lisboa, 1913: sobre o papel das vivências da música na produção de um quotidiano ‘elegante’. 2013. Abstract from Simpósio Cem Anos de Sagração da Primavera 1913-­2013, Lisboa, Portugal.