Para uma história e teoria crítica do Rap em Portugal: Fixar os paradoxos, os caminhos percorridos e as resistências das primeiras mulheres

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

4 Downloads (Pure)

Abstract

Entre os anos de 1989 e 1998 existiram em Portugal dois grupos de RAP compostos por mulheres. Mas a sua invisibilidade, à semelhança de outros campos da cultura e da música ditas populares, será justificada pela diferenciação de género que pauta outros campos da sociedade? De que falavam os seus temas? Como traçaram os seus caminhos os elementos dos grupos Divine e Djamal, numa prática que dava os primeiros passos em território português? Por que motivos a literatura cultural e científica que abrange este período evidencia um legado predominantemente masculino, assente em repertórios temáticos que narravam desigualdades raciais, económicas, étnicas, e não inscreve o legado feminino deste mesmo período, cujos repertórios temáticos dão nota de sexismo, da violência e da desigualdade baseada no género? Neste artigo procuro demonstrar como a apresentação feminina neste universo cultural foi, por um lado propagada de modo superficial pelos média, e por outro destituída dos significados das suas intervenções poéticas e/ou literárias, ou silenciada pelos próprios atores que se afirmaram no RAP em Portugal.
Original languagePortuguese
Title of host publicationReiventar o Discurso e o Palco
Subtitle of host publicationo Rap, Entre Saberes Locais e Olhares Globais
EditorsTirso Sitoe, Paula Guerra
Place of PublicationPorto
PublisherUniversidade do Porto
Chapter10
Pages190-201
Number of pages12
ISBN (Print)978-989-8969-17-0
Publication statusPublished - 2019

Cite this