Para uma auto-etnografia dos estados de vulnerabilidade: ensaio num caso de disfunção da tiróide

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contributionpeer-review

10 Downloads (Pure)

Abstract

A antropologia é uma ciência humana, como tal, é uma ciência viva, cujo manancial metodológico deve ajustar-­‐se à  mudança histórica. Este ajustamento constitui tanto um risco como uma vantagem. Um risco porque  prende  a antropologia a um  estatuto científico  em constante desequilíbrio, uma vez que a cristalização metodológica é um critério tradicional de atribuição de reconhecimento às disciplinas científicas. Porém, uma vantagem, porque tal ajustamento é sinal inequívoco da procura incessante de rigor. Um exemplo desta procura é o uso da autoetnografia em situações de difícil apreensão a  partir do exterior do sujeito, como é o caso das situações de vulnerabilidade. Neste artigo ensaia-­‐se o uso da autoetnografia na descrição
e na  análise dos comportamentos de procura de ajuda face a uma situação de disfunção da tiróide. A utilização deste método no estudo dos comportamentos de ajuda poderá  contribuir para a realização de uma efetiva medicina narrativa.
 
Original languagePortuguese
Title of host publicationAtas do 5.º Congresso Iberoamericano em Investigação Qualitativa
EditorsAntónio Pedro Costa
Place of PublicationOliveira de Azeméis
PublisherLudomedia
Pages256-265
Number of pages9
Volume3
ISBN (Print)978-972-8914-60-8
Publication statusPublished - 2016

Keywords

  • Autoetnografia
  • Procura de ajuda em saúde
  • Vulnerabilidade
  • Discursividade

Cite this