Páginas da Vida de um Jovem Arqueólogo: Francisco Tavares Proença Júnior (1883-1916)

Translated title of the contribution: Pages of the life of a young archaeologist: Francisco Tavares Proença Júnior (1883-1916)

Research output: Contribution to journalArticlepeer-review

Abstract

Inaugurado em 1910, o Museu Municipal de Castelo Branco nasceu da vontade e da acção de Francisco Tavares Proença Júnior (1883-1916), então com 27 anos. Pertencendo a uma das mais influentes famílias beirãs da época, F. Tavares Proença Júnior cedo se interessou pelo passado da região onde residia, percorrendo-a em demanda de sítios arqueológicos que assinalou e de artefactos que reuniu para com eles constituir uma colecção. Esta colecção estará na base do museu que projectou instituir desde 1902, por entre múltiplos apoios, desalentos e contradições. Tratou-se, contudo, de um plano individual de visibilidade pública que merece ser analisado enquanto materialização de uma agenda de afirmação pessoal alicerçada nos capitais granjeados por sua família, assim como nas diferentes tipologias de redes – incluindo territoriais –, e estratégias interpessoais tecidas ao longo dos tempos pelos seus antepassados e colaterais. Propomos, por conseguinte, demonstrar neste artigo a relação que foi sendo mantida entre o indivíduo F. Tavares Proença Júnior e os capitais, o território, a colecção, e museu e identidade(s).
Translated title of the contributionPages of the life of a young archaeologist: Francisco Tavares Proença Júnior (1883-1916)
Original languagePortuguese
Pages (from-to)1-17
Number of pages17
JournalMIDAS – Museus e Estudos Interdisciplinares
Issue number11
DOIs
Publication statusPublished - 2020

Keywords

  • coleções arqueológicas
  • Francisco Tavares Proença Júnior
  • biografia
  • Museu Francisco Tavares Proença Júnior
  • história dos museus

Cite this