Os navios, as cerâmicas e o porto: a arqueologia da laguna de Aveiro medieval e moderna nas rotas europeias e atlânticas

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

78 Downloads (Pure)

Abstract

A investigação arqueológica tem demonstrado que as características da costa continental portuguesa, linear e muito exposta à ondulação, são desfavoráveis à conservação de contextos subaquáticos. Exceptuam-se as zonas estuarinas ou lagunares, que têm revelado nas últimas décadas importantes vestígios submersos, como o rio Arade, ou as áreas soterradas pelo desenvolvimento de zonas ribeirinhas, como é o caso do navio do Cais do Sodré, em Lisboa.
Neste contexto, a Ria de Aveiro constitui um caso singular, quer pelo número, quer pela diversidade dos vestígios, protegidos durante séculos pelo assoreamento que deu origem a este sistema estuarino-lagunar de pouca profundidade. Entre os vestígios arqueológicos mais importantes, conta-se um contexto portuário num dos canais de acesso à cidade e três sítios de naufrágio do período medieval-moderno.
Original languagePortuguese
Title of host publicationO tempo resgatado ao mar
EditorsSilveira Adolfo
Place of PublicationLisboa
PublisherImprensa Nacional - Casa da Moeda / Direcção Geral do Património Cultural - Museu Nacional de Arqueologia
Pages105-110
Number of pages6
Volume1
ISBN (Print)9789380607993
Publication statusPublished - 1 Jan 2014

Keywords

  • Arqueologia subaquática
  • Ria de Aveiro
  • Portos portugueses
  • Naufrágios
  • Construção naval
  • Cerâmica

Cite this