Os cantos de Maldoror: cinema de libertação da ‘realizadora-romancista’

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapterpeer-review

Abstract

No contexto da produção internacional de um cinema político, engagé, Sarah Maldoror criou e manteve -- desde Monangambé a Sambizanga, sobre a luta anticolonial em Angola, passando por Des fusils pour Banta, filmado entre os guerrilheiros da Guiné-Bissau -- uma prática singular. Compôs um cinema político, servido por um olhar esteticamente cuidado, e em que, através de elementos ficcionais -- e não através das opções documentais e do recurso ao cinema direto então característicos do cinema militante --, a ação não é tão central quanto a composição psicológica das personagens. Não obstante a qualidade estética dos seus filmes e a densidade psicológica das suas personagens, críticas e tentativas de controlar as opções criativas marcaram fortemente o início da obra cinematográfica daquela que é considerada a primeira realizadora africana, mas que continua sem ter reconhecimento idêntico ao dos seus pares masculinos.
Original languagePortuguese
Title of host publicationCineGrafias angolanas
Subtitle of host publicationmemórias e reflexões
EditorsC. T. Secco, A. P. Tavares, A. M. Leite, J. O. Van-Dúnem
Place of PublicationSão Paulo
PublisherKapulana
Pages73-82
Number of pages9
ISBN (Print)978-65-87231-18-1
Publication statusPublished - 2022

Keywords

  • Cinema político
  • Sarah Maldoror
  • Luandino Vieira
  • Cinema africano
  • Lutas de Libertação

Cite this