O Viajante Romântico e o Apelo da Ruína

Research output: Contribution to journalArticlepeer-review

21 Downloads (Pure)

Abstract

O viajante romântico, amante da cultura e das paisagens sentimentais, embarcou no Grand Tour para verificar o mundo e apreciar fragmentos do passado que, nostalgicamente o fizeram reviver um tempo considerado áureo. A contemplação de ruínas de civilizações antigas e perfeições artísticas permitiram-lhe criar um sentimento de melancolia que se repercutiu tanto na criação literária como na produção pictórica subsequente. Idolatrando o pretérito, o romantismo enalteceu a deslocação do Grand Tourist e motivou o desenvolvimento de uma literatura de viagens que viria a influenciar a deslocação na Velha Europa e no Oriente, de artistas, nomeadamente, pintores. Esse oriente exótico e distante originou uma moda que se prolongou ao longo de Oitocentos: o orientalismo.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)34-41
Number of pages8
JournalARTIS - Revista de História da Arte e Ciências do Património
Issue number4
Publication statusPublished - 2016

Cite this