O tempo do espectador: A fruição da imagem em movimento no espaço do museu

Cristiane Herres, Lorena Travassos

Research output: Contribution to journalArticle

4 Downloads (Pure)

Abstract

O artigo dispõe-se a refletir sobre a relação do espectador junto às obras que utilizam a imagem em movimento no espaço do museu e como tal relação gera novos modos de fruição, ressaltando a disponibilidade de tempo dedicado à apreciação das obras. Trata-se de analisar a relação entre o tempo da obra e o tempo do espectador diante de filmes de longa temporalidade, como é o caso das instalações The Clock (2010), de Marclay, e Theresienstadt (2007), de Blaufuks, a partir de conceitos como cinema expandido (PARENTE, 2006) e espectador pensativo (BELLOUR, 1987). Ademais, tem-se em conta o aporte teórico que trata do cinema lento e da emancipação do espectador que se apresenta como responsável por tornar a arte produtiva.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)120-134
Number of pages15
JournalGalaxia, PUC_SP
Issue number37
DOIs
Publication statusPublished - 9 Apr 2018

Keywords

  • cinema expandido
  • espectador
  • espaço museal
  • estética da recepção

Cite this