O registo fóssil da biodiversidade em Angola ao longo do tempo: uma perspectiva paleontológica

Octávio Mateus, Pedro M. Callapez, Michael J. Polcyn, Anne S. Schulp, António Olímpio Gonçalves, Louis L Jacobs

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

Abstract

Este capítulo apresenta uma visão geral da paleobiodiversidade alfa de Angola com base no registo fóssil disponível, o qual se limita às rochas sedimentares, a sua idade variando entre o Pré-Câmbrico e o pre-sente. O período geológico com a maior paleobiodiversidade no registo fóssil angolano é o Cretácico, com mais de 80% do total dos táxones fósseis conhecidos, especialmente moluscos marinhos, sendo estes na sua maioria amonites. Os vertebrados representam cerca de 15% da fauna conhecida e cerca de um décimo destes são espécies descritas pela primeira vez com base em espécimes de Angola.
Original languageEnglish
Title of host publicationBiodiversidade de Angola: Ciência e Conservação - Uma Síntese Moderna
PublisherArte & Ciência
Pages89-116
ISBN (Print)978-989-54126-2-4
Publication statusPublished - Jun 2019

Fingerprint Dive into the research topics of 'O registo fóssil da biodiversidade em Angola ao longo do tempo: uma perspectiva paleontológica'. Together they form a unique fingerprint.

  • Cite this

    Mateus, O., Callapez, P. M., Polcyn, M. J., Schulp, A. S., Gonçalves, A. O., & Jacobs, L. L. (2019). O registo fóssil da biodiversidade em Angola ao longo do tempo: uma perspectiva paleontológica. In Biodiversidade de Angola: Ciência e Conservação - Uma Síntese Moderna (pp. 89-116). Arte & Ciência.