O pensamento sociológico sobre a tese da secularização: genealogia de sua proveniência pré-sociológica e de sua emergência na sociologia do século XIX

Research output: Contribution to journalConference article

Abstract

Vivemos numa era secular, foi dito em um dos ensaios filosóficos mais importantes do século XXI. Ou seja, existe uma estrutura imanente das ordens social e moral que opera como se o sagrado não existisse ou como se fosse oposto ao processo de emancipação humana. Mas como chegámos até aqui? Julgamos que uma maneira de responder a esta pergunta é através do estudo de uma das expressões-chave do debate político, ético e filosófico contemporâneo – a secularização. Para isso propomos a análise e interpretação das condições que levaram à proveniência e emergência da tese da secularização, bem como do projeto de modernidade que encerra. Recorremos a uma metodologia genealógica de modo a observarmos suas vicissitudes históricas e suas contingências e descontinuidades no discurso (pré)sociológico. Assim, propomos um exame diacrónico das várias significações da secularização, começando pela sua proveniência greco-romana e aprofundando sua emergência no pensamento sociológico do século XIX.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)1-20
Number of pages20
JournalAnais do VIII Seminário Nacional de Sociologia & Política
Issue number08-14
Publication statusPublished - 19 May 2017
EventVIII Seminário Nacional Sociologia & Política: Direitos Humanos e democracia: perspectivas e desafios contemporâneos - Curitiba-PR, Curitiba-PR, Brazil
Duration: 17 May 201719 May 2017
Conference number: VIII

Keywords

  • Secularização
  • Pensamento social
  • Genealogia
  • Sociologia do século XIX

Cite this

@article{bf8dbf762e424a97a535d6d8a2c12e2c,
title = "O pensamento sociol{\'o}gico sobre a tese da seculariza{\cc}{\~a}o: genealogia de sua proveni{\^e}ncia pr{\'e}-sociol{\'o}gica e de sua emerg{\^e}ncia na sociologia do s{\'e}culo XIX",
abstract = "Vivemos numa era secular, foi dito em um dos ensaios filos{\'o}ficos mais importantes do s{\'e}culo XXI. Ou seja, existe uma estrutura imanente das ordens social e moral que opera como se o sagrado n{\~a}o existisse ou como se fosse oposto ao processo de emancipa{\cc}{\~a}o humana. Mas como cheg{\'a}mos at{\'e} aqui? Julgamos que uma maneira de responder a esta pergunta {\'e} atrav{\'e}s do estudo de uma das express{\~o}es-chave do debate pol{\'i}tico, {\'e}tico e filos{\'o}fico contempor{\^a}neo – a seculariza{\cc}{\~a}o. Para isso propomos a an{\'a}lise e interpreta{\cc}{\~a}o das condi{\cc}{\~o}es que levaram {\`a} proveni{\^e}ncia e emerg{\^e}ncia da tese da seculariza{\cc}{\~a}o, bem como do projeto de modernidade que encerra. Recorremos a uma metodologia geneal{\'o}gica de modo a observarmos suas vicissitudes hist{\'o}ricas e suas conting{\^e}ncias e descontinuidades no discurso (pr{\'e})sociol{\'o}gico. Assim, propomos um exame diacr{\'o}nico das v{\'a}rias significa{\cc}{\~o}es da seculariza{\cc}{\~a}o, come{\cc}ando pela sua proveni{\^e}ncia greco-romana e aprofundando sua emerg{\^e}ncia no pensamento sociol{\'o}gico do s{\'e}culo XIX.",
keywords = "Seculariza{\cc}{\~a}o, Pensamento social, Genealogia, Sociologia do s{\'e}culo XIX",
author = "{Botelho Moniz}, Jorge",
note = "info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147295/PT# UID/CPO/04627/2013 SFRH/BD/107762/2015",
year = "2017",
month = "5",
day = "19",
language = "Portuguese",
pages = "1--20",
journal = "Anais do VIII Semin{\'a}rio Nacional de Sociologia & Pol{\'i}tica",
issn = "2175-6880",
number = "08-14",

}

TY - JOUR

T1 - O pensamento sociológico sobre a tese da secularização

T2 - genealogia de sua proveniência pré-sociológica e de sua emergência na sociologia do século XIX

AU - Botelho Moniz, Jorge

N1 - info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147295/PT# UID/CPO/04627/2013 SFRH/BD/107762/2015

PY - 2017/5/19

Y1 - 2017/5/19

N2 - Vivemos numa era secular, foi dito em um dos ensaios filosóficos mais importantes do século XXI. Ou seja, existe uma estrutura imanente das ordens social e moral que opera como se o sagrado não existisse ou como se fosse oposto ao processo de emancipação humana. Mas como chegámos até aqui? Julgamos que uma maneira de responder a esta pergunta é através do estudo de uma das expressões-chave do debate político, ético e filosófico contemporâneo – a secularização. Para isso propomos a análise e interpretação das condições que levaram à proveniência e emergência da tese da secularização, bem como do projeto de modernidade que encerra. Recorremos a uma metodologia genealógica de modo a observarmos suas vicissitudes históricas e suas contingências e descontinuidades no discurso (pré)sociológico. Assim, propomos um exame diacrónico das várias significações da secularização, começando pela sua proveniência greco-romana e aprofundando sua emergência no pensamento sociológico do século XIX.

AB - Vivemos numa era secular, foi dito em um dos ensaios filosóficos mais importantes do século XXI. Ou seja, existe uma estrutura imanente das ordens social e moral que opera como se o sagrado não existisse ou como se fosse oposto ao processo de emancipação humana. Mas como chegámos até aqui? Julgamos que uma maneira de responder a esta pergunta é através do estudo de uma das expressões-chave do debate político, ético e filosófico contemporâneo – a secularização. Para isso propomos a análise e interpretação das condições que levaram à proveniência e emergência da tese da secularização, bem como do projeto de modernidade que encerra. Recorremos a uma metodologia genealógica de modo a observarmos suas vicissitudes históricas e suas contingências e descontinuidades no discurso (pré)sociológico. Assim, propomos um exame diacrónico das várias significações da secularização, começando pela sua proveniência greco-romana e aprofundando sua emergência no pensamento sociológico do século XIX.

KW - Secularização

KW - Pensamento social

KW - Genealogia

KW - Sociologia do século XIX

M3 - Conference article

SP - 1

EP - 20

JO - Anais do VIII Seminário Nacional de Sociologia & Política

JF - Anais do VIII Seminário Nacional de Sociologia & Política

SN - 2175-6880

IS - 08-14

ER -