O mar na poesia de Ruy Duarte de Carvalho, Jorge Barbosa e na obra Os pescadores da Raúl Brandão

Research output: Contribution to conferenceAbstract

Abstract

O mar, local “misterioso”, é entendido cosmicamente como sendo uma fonte de energia fecundadora, o que o faz assumir um papel distinto nas díspares cartografias que ultrapassam as fronteiras reais dos mapas e abrem espaços abstratos arrolados à extensão literária, fantástica e histórica.
O oceano configura-se, assim, como sendo uma vasta imagem aquática, onde refletem linguagens indiretas da natureza. Os ruídos oceânicos e as cadências da maré movem-se como agentes catalisadores das recordações submersas, deliberando os excertos confiados no inconsciente coletivo, lendário e memorável (Secco, 2000). Essa vinculação à memória coletiva faz com que adquire conotações subjetivas, como um itinerário de regresso às origens e de polifonia temática em autores de diferentes países.
Para o efeito, pretendemos, com esta comunicação, abordar a temática do mar em três autores de língua portuguesa Ruy Duarte de Carvalho, Jorge Barbosa e Raul Brandão.
Original languagePortuguese
Pages71-71
Number of pages1
Publication statusPublished - 2018
Event4.º Congresso Internacional Pelos Mares da Língua Portuguesa. - Universidade de Aveiro, Aveiro, Portugal
Duration: 23 May 201825 May 2018
http://mares4.web.ua.pt/wp-content/uploads/2018/05/Mares4_2018_LivroResumos.pdf

Conference

Conference4.º Congresso Internacional Pelos Mares da Língua Portuguesa.
CountryPortugal
CityAveiro
Period23/05/1825/05/18
Internet address

Keywords

  • Produção literária
  • O mar
  • Insularidade
  • Viagem
  • Infinito

Cite this