O malogro da beleza, ou uma incapacitação crítica da homonormatividade

Research output: Contribution to journalArticlepeer-review

Abstract

O habitus homossexual comporta um parâmetro estético-erótico de beleza/juventude de carácter geracionista, eugenista e melhorista, mais compensatório do que verdadeiramente emancipatório da vergonha fundacional da identidade homossexual. Frequentemente apresentado como modelo de identificação para os jovens gay, ele tem profundos efeitos homonormativos nos processos de subjetivação gay. Um uso produtivamente político da performatividade queer combate os estragos devastadores deste modelo no próprio seio dos processos de subjetivação gay com recurso aos contributos da arte queer do malogro.


The homosexual habitus comprises an aesthetico-erotic parameter of beauty/youth that is ageist, eugenicist and melioristic in nature and that is compensational rather than emancipatory regarding the foundational shame of homossexual identity. Often presented as an identification model for gay youths, it has profound homonormative effects in gay subjectifying processes. A productively political use of queer performativity counters the devastating ravages of this model at the very heart of gay subjectification processes by resorting to the critical powers of the queer art of failure.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)71-83
Number of pages13
JournalRevista Configurações
Issue number15
DOIs
Publication statusPublished - Jun 2015

Keywords

  • Aesthetico-erotic
  • Failure
  • Shame
  • Homonormativity
  • Queer performativity
  • Estético-erótico
  • Malogro
  • Vergonha
  • Homonormatividade
  • Performatividade queer

Cite this