O claustro como representação simbólica e alegórica na literatura medieval

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

Abstract

As referências ao claustro em textos poéticos da Idade Média surgem, em regra geral, num contexto figurativo de matriz alegórica ou simbólica com a função de representar conceitos intelectuais ou espirituais. Desde a alegoria da alma no De claustro animae de Hugo de Folieto até à abadessa de Santo Odilo na Alsácia, Herrade de Landsberg, que na sua célebre enciclopédia espiritual intitulada Hortus Deliciarum apontou o claustro como um dos sentidos do paraíso terrestre, ou a alegoria do paraíso que expende o autor do Boosco deleitoso, a espacialização do percurso intelectual em Le pèlerinage de la vie humaine de Guillaume de Degulleville, e, ainda, a versão moralizada, em prosa, do Roman de la Rose por Jean Molinet, que viu no vergel onde penetra o amante o claustro da vida religiosa, várias foram as figurações poéticas que elegeram o claustro como seu modelo preferencial. Profundamente associado à atitude contemplativa e ao exercício da meditação em contexto monástico, a partir do século XII o claustro é submetido, de modo sistemático, a um processo de conceptualização que tem expressão poética relevante. Servindo para organização espiritual em meios monásticos, ou, em círculos literários, para a reconfiguração da alegoria profana, muito em particular no contexto da intertextualidade com o Roman de la Rose, encontram-se manifestações do imaginário claustral num espectro da produção poética tão largo que abarca a literatura de visões, a peregrinatio espiritual, apologias da vida de reclusão e da vida solitária de inspiração cisterciense ou petrarquista, e integra-se, mesmo, no contexto da retórica como um tropo da memória. Neste artigo, exploram-se algumas das vertentes em que a representação poética do claustro se evidenciou nos últimos séculos do período medieval no intuito de demonstrar que desempenhou, enquanto estrutura de espacialização, uma função preponderante na construção de um universo poético que tem na imagem raízes fundas.
Original languagePortuguese
Title of host publicationClaustros no Mundo Mediterrânico – séculos X-XVIII
EditorsGiulia Vairo, Joana Melo
Place of PublicationCoimbra
PublisherAlmedina
Pages213-233
Number of pages20
ISBN (Print)9789724059037
Publication statusPublished - 2016

Keywords

  • Claustro
  • Alegoria
  • Espacialidade
  • Imaginário

Cite this