Museologia e trabalho colaborativo: uma experiência na primeira década do século XX envolvendo a Terceira, S. Jorge e a Madeira

Maria Manuel Velasquez Ribeiro, Susana Goulart Costa

Research output: Contribution to conferenceAbstractpeer-review

Abstract

Inaugurado em 1908, em Angra do Heroísmo, o Museu Açoriano é a segunda experiência museológica realizada na ilha Terceira. Projeto que parte da iniciativa da comunidade escolar local, uma parceria entre o Conselho Escolar e a Escola Industrial Madeira Pinto, assinalam-se-lhe diferentes originalidades. Por um lado a da sua missão regional, revelada na própria designação do museu, e optimizada pela constituição de uma Galeria dos Açorianos Ilustres; por outro lado, a representação do arquipélago centrada no seu potencial industrial, de forma que o museu acompanha o emergente movimento dos museus industriais; por último, as modalidades cooperativas de constituição do acervo que contou com a organização de comissões paroquiais e de uma rede de colaboradores que se estendeu, também, a S. Jorge e à Madeira.
O papel da imprensa local constituir-se-á como factor determinante na constituição e divulgação quer do projecto quer das redes que o suportaram.de testemunhos e de fontes, com base em documentos facultados por alguns combatentes e seus familiares (especialmente oriundos da ilha de S. Miguel – Açores), mas procura igualmente lançar as bases do que poderá vir a ser um relevante projeto de investigação, à escala regional ou nacional.
Original languagePortuguese
Pages31-32
Number of pages2
Publication statusPublished - 2016
EventColóquio Açores e Madeira: percursos de memória e identidade - Madeira, Velas, Portugal
Duration: 29 Jun 20162 Jul 2016
https://repositorio.uac.pt/bitstream/10400.3/3811/1/CAPA_Resumos_ColoquioAcoresMadeira2016JUNHO29-30.pdf

Conference

ConferenceColóquio Açores e Madeira
CountryPortugal
CityVelas
Period29/06/162/07/16
Internet address

Keywords

  • Museus nos Açores
  • S. Jorge
  • Madeira
  • Acervos colaborativos
  • Redes

Cite this