Murray Leeder. 2017. The Modern Supernatural and the Beginnings of Cinema. Palgrave Macmillan

Research output: Contribution to journalBook/Film/Article reviewpeer-review

3 Downloads (Pure)

Abstract

Nas últimas décadas, têm-se multiplicado os discursos académicos acerca da íntima ligação do cinema “primitivo” às questões da espectralidade. Porém, muitas destas análises tendem a abstrair a produção cinematográfica de um conjunto heterogéneo de práticas e dispositivos que a envolvem, e que já participam de um fascínio propriamente moderno pelo sobrenatural. Murray Leeder, com The Modern Supernatural and the Beginnings of Cinema (2017), procura resgatar esta herança da invisibilidade a que tem sido votada. Entre factos culturais tão distintos como o “fantasma de Pepper”, os espectáculos de hipnotismo ou a descoberta dos raios-x, há múltiplos elos históricos e filosóficos que importa esclarecer, de modo a obter uma imagem mais rigorosa (sem cedências ao essencialismo) da fantasmagoria deste primeiro cinema.


Original languagePortuguese
Pages (from-to)275-280
Number of pages6
JournalRevista de Comunicação e Linguagens
Issue number53
DOIs
Publication statusPublished - 2020

Keywords

  • Cinema primitivo
  • Espectralidade

Cite this