Modelos explicativos da economia colonial brasileira: um problema historiográfico

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

4 Downloads (Pure)

Abstract

A economia do Brasil colonial é um tópico constantemente visitado pelas historiografias brasileira e brasilianista. Dos balanços sobre o tema, um exemplo de destaque é apresentação que J. Fragoso e M. Florentino (2001) fazem dos modelos explicativos da economia colonial elaborados por C. Prado Jr., C. Furtado, F. Novais, C. F. Cardoso e J. Gorender. Nesse trabalho, Fragoso e Florentino recuperam os pontos fortes de cada interpretação, mas também apontam suas fraquezas e inconsistências. Com esse movimento, a dupla de historiadores tanto presta homenagens aos seus antecessores quanto procura se diferenciar deles. Seu propósito é demonstrar que os modelos anteriores, embora relevantes, falham em explicar uma série de problemas levantados
pelas pesquisas da dupla. Como qualquer historiador faria, eles se apropriam daquilo que lhes é útil na historiografia e se afastam do que não é, sempre tendo como foco compreender melhor a economia colonial. Geralmente, a produção contemporânea sobre o assunto adota estratégias semelhantes: o problema central é a economia do passado e os debates sobre os modelos explicativos são um caminho para acessar tal problema.
Exemplos incluem: os estudos de J. Pires e I. da Costa (1995, 2000), as críticas de E. Mariutti (2001) a Fragoso e Florentino, os artigos de F. Pesavento e T. Gil (2005) e de J. P. de Souza (2008) ou desenvolvimentos posteriores das ideias de J. Fragoso (2012). Todos esses textos discutem os modelos explicativos, debatendo e buscando superar a historiografia prévia, para finalmente apresentar maneiras mais consistentes de se compreender a economia colonial.
Em diálogo com essa produção, mas invertendo suas prioridades, iniciei uma
pesquisa sobre os modelos explicativos em questão na qual a economia colonial, em vez de ser o objeto principal, é tomada como acesso para se discutir a produção historiográfica. O primeiro objetivo dessa pesquisa é investigar o desenvolvimento e consolidação de cada modelo, as críticas e reformulações que sofreram, as eventuais superações impostas por interpretações mais sofisticadas e, inclusive, possíveis retornos promovidos por novas perspetivas. O segundo objetivo é examinar os emaranhamentos desses modelos com o pensamento econômico e com as políticas econômicas brasileiras de cada contexto, em especial os planos econômicos. A partir das tradições da história da historiografia e da sociologia dos intelectuais, a intenção é abordar esses problemas a partir de uma entrada dupla, que examine os modelos tanto de acordo com os debates intelectuais correspondentes quanto em função das condições sociais de sua produção e circulação. Com o intuito de refinar o desenho da pesquisa, a proposta desta comunicação é discutir as problemáticas, a metodologia e os instrumentais teóricos adotados no projeto em questão.
Original languagePortuguese
Title of host publicationAnais do 31º Simpósio Nacional de História
Subtitle of host publicationhistória, verdade e tecnologia
EditorsMárcia Maria Menendes Motta
Place of PublicationSão Paulo
PublisherANPUH-SP
Pages1-11
Number of pages11
ISBN (Electronic)978-65-995718-1-7
Publication statusPublished - 2021
Event31º Simpósio Nacional de História: História, Verdade e Tecnologia - UERJ/UVA, Rio de Janeiro, Brazil
Duration: 19 Jul 202123 Jul 2021
https://www.snh2021.anpuh.org/site/capa

Other

Other31º Simpósio Nacional de História
Country/TerritoryBrazil
CityRio de Janeiro
Period19/07/2123/07/21
Internet address

Keywords

  • Modelos explicativos da economia colonial brasileira
  • Historiografia brasileira
  • Pensamento econômico brasileiro

Cite this