Modelo didático do artigo de opinião:

do ensino do género ao conhecimento explícito do funcionamento da língua”

Rute Rosa, Natalia Ricciardi

Research output: Contribution to conferenceAbstract

7 Downloads (Pure)

Abstract

Inscrevendo-se no âmbito da Linguística do Texto e privilegiando o Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) (Bronckart, [1997] 1999), bem como os princípios da Didática dos Géneros (Dolz & Schneuwly, 2004), esta proposta foca o contributo da didatização do artigo de opinião para o conhecimento explícito do funcionamento da língua.Para o ISD, os géneros são instrumentos reguladores das práticas comunicativas humanas, constituindo formatos interiorizados a partir das práticas textuais dos falantes. Entendidos como modelos pré-construídos, os géneros são historicamente e culturalmente marcados e estão associados às atividades da vida social e, por isso, refletem os usos da língua nas diferentes esferas de atividade (Bronckart, 2008; Miranda, 2012). Nesta perspetiva, os géneros como instrumentos didáticos permitem a aprendizagem da língua nas suas diferentes esferas de utilização, contribuindo, assim, para o incremento do conhecimento explícito do funcionamento da língua. Para atingir o objetivo a que nos propomos, apresentamos um modelo didático do artigo de opinião, a partir da análise de um corpus constituído por oito exemplares do género, recolhidos em 2018. Em termos metodológicos, privilegiamos uma abordagem descendente (Voloshinov, [1929] 1977), partindo das atividades e parâmetros contextuais, seguindo-se o linguístico, considerando a organização temática, ou seja, o plano de texto, os tipos discursivos privilegiados, bem como as vozes que neles assumem responsabilidade enunciativa (Adam, 2008; Bronckart, [1997] 1999). Assim, o modelo didático proposto contempla duas dimensões que se intersetam: contextual e composicional. Na dimensão contextual, evidenciamos o funcionamento social do género, os objetivos comunicativos e os parâmetros contextuais. Na dimensão composicional, sublinhamos a organização dos conteúdos, bem como a configuração linguística das vozes dos autores empíricos e dos tipos discursivos da ordem do expor, destacando-se a presença do discurso interativo em momentos específicos do plano texto, essencial para o conhecimento da expressão linguística de pontos de vista em português.
Original languagePortuguese
Pages68-69
Number of pages2
Publication statusPublished - Jan 2019
EventVI Fórum de Linguística Aplicada ao Ensino e Aprendizagem de Línguas (FLAEL): Perspetivas didáticas e formativas em Gramática e Texto - NOVA FCSH – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa, Lisboa, Portugal
Duration: 16 Jan 201918 Jan 2019
Conference number: VI
http://viflaelclunl.fcsh.unl.pt/

Conference

ConferenceVI Fórum de Linguística Aplicada ao Ensino e Aprendizagem de Línguas (FLAEL)
Abbreviated titleVI FLAEL
CountryPortugal
CityLisboa
Period16/01/1918/01/19
Internet address

Cite this

Rosa, R., & Ricciardi, N. (2019). Modelo didático do artigo de opinião: do ensino do género ao conhecimento explícito do funcionamento da língua”. 68-69. Abstract from VI Fórum de Linguística Aplicada ao Ensino e Aprendizagem de Línguas (FLAEL), Lisboa, Portugal.
Rosa, Rute ; Ricciardi, Natalia. / Modelo didático do artigo de opinião: do ensino do género ao conhecimento explícito do funcionamento da língua”. Abstract from VI Fórum de Linguística Aplicada ao Ensino e Aprendizagem de Línguas (FLAEL), Lisboa, Portugal.2 p.
@conference{09d6833b9c7c44d9a1b516b43a22dad1,
title = "Modelo did{\'a}tico do artigo de opini{\~a}o:: do ensino do g{\'e}nero ao conhecimento expl{\'i}cito do funcionamento da l{\'i}ngua”",
abstract = "Inscrevendo-se no {\^a}mbito da Lingu{\'i}stica do Texto e privilegiando o Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) (Bronckart, [1997] 1999), bem como os princ{\'i}pios da Did{\'a}tica dos G{\'e}neros (Dolz & Schneuwly, 2004), esta proposta foca o contributo da didatiza{\cc}{\~a}o do artigo de opini{\~a}o para o conhecimento expl{\'i}cito do funcionamento da l{\'i}ngua.Para o ISD, os g{\'e}neros s{\~a}o instrumentos reguladores das pr{\'a}ticas comunicativas humanas, constituindo formatos interiorizados a partir das pr{\'a}ticas textuais dos falantes. Entendidos como modelos pr{\'e}-constru{\'i}dos, os g{\'e}neros s{\~a}o historicamente e culturalmente marcados e est{\~a}o associados {\`a}s atividades da vida social e, por isso, refletem os usos da l{\'i}ngua nas diferentes esferas de atividade (Bronckart, 2008; Miranda, 2012). Nesta perspetiva, os g{\'e}neros como instrumentos did{\'a}ticos permitem a aprendizagem da l{\'i}ngua nas suas diferentes esferas de utiliza{\cc}{\~a}o, contribuindo, assim, para o incremento do conhecimento expl{\'i}cito do funcionamento da l{\'i}ngua. Para atingir o objetivo a que nos propomos, apresentamos um modelo did{\'a}tico do artigo de opini{\~a}o, a partir da an{\'a}lise de um corpus constitu{\'i}do por oito exemplares do g{\'e}nero, recolhidos em 2018. Em termos metodol{\'o}gicos, privilegiamos uma abordagem descendente (Voloshinov, [1929] 1977), partindo das atividades e par{\^a}metros contextuais, seguindo-se o lingu{\'i}stico, considerando a organiza{\cc}{\~a}o tem{\'a}tica, ou seja, o plano de texto, os tipos discursivos privilegiados, bem como as vozes que neles assumem responsabilidade enunciativa (Adam, 2008; Bronckart, [1997] 1999). Assim, o modelo did{\'a}tico proposto contempla duas dimens{\~o}es que se intersetam: contextual e composicional. Na dimens{\~a}o contextual, evidenciamos o funcionamento social do g{\'e}nero, os objetivos comunicativos e os par{\^a}metros contextuais. Na dimens{\~a}o composicional, sublinhamos a organiza{\cc}{\~a}o dos conte{\'u}dos, bem como a configura{\cc}{\~a}o lingu{\'i}stica das vozes dos autores emp{\'i}ricos e dos tipos discursivos da ordem do expor, destacando-se a presen{\cc}a do discurso interativo em momentos espec{\'i}ficos do plano texto, essencial para o conhecimento da express{\~a}o lingu{\'i}stica de pontos de vista em portugu{\^e}s.",
author = "Rute Rosa and Natalia Ricciardi",
note = "info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147316/PT# UID/LIN/03213/2013 PD/BD/113974/2015; null ; Conference date: 16-01-2019 Through 18-01-2019",
year = "2019",
month = "1",
language = "Portuguese",
pages = "68--69",
url = "http://viflaelclunl.fcsh.unl.pt/",

}

Rosa, R & Ricciardi, N 2019, 'Modelo didático do artigo de opinião: do ensino do género ao conhecimento explícito do funcionamento da língua”' VI Fórum de Linguística Aplicada ao Ensino e Aprendizagem de Línguas (FLAEL), Lisboa, Portugal, 16/01/19 - 18/01/19, pp. 68-69.

Modelo didático do artigo de opinião: do ensino do género ao conhecimento explícito do funcionamento da língua”. / Rosa, Rute; Ricciardi, Natalia.

2019. 68-69 Abstract from VI Fórum de Linguística Aplicada ao Ensino e Aprendizagem de Línguas (FLAEL), Lisboa, Portugal.

Research output: Contribution to conferenceAbstract

TY - CONF

T1 - Modelo didático do artigo de opinião:

T2 - do ensino do género ao conhecimento explícito do funcionamento da língua”

AU - Rosa, Rute

AU - Ricciardi, Natalia

N1 - info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147316/PT# UID/LIN/03213/2013 PD/BD/113974/2015

PY - 2019/1

Y1 - 2019/1

N2 - Inscrevendo-se no âmbito da Linguística do Texto e privilegiando o Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) (Bronckart, [1997] 1999), bem como os princípios da Didática dos Géneros (Dolz & Schneuwly, 2004), esta proposta foca o contributo da didatização do artigo de opinião para o conhecimento explícito do funcionamento da língua.Para o ISD, os géneros são instrumentos reguladores das práticas comunicativas humanas, constituindo formatos interiorizados a partir das práticas textuais dos falantes. Entendidos como modelos pré-construídos, os géneros são historicamente e culturalmente marcados e estão associados às atividades da vida social e, por isso, refletem os usos da língua nas diferentes esferas de atividade (Bronckart, 2008; Miranda, 2012). Nesta perspetiva, os géneros como instrumentos didáticos permitem a aprendizagem da língua nas suas diferentes esferas de utilização, contribuindo, assim, para o incremento do conhecimento explícito do funcionamento da língua. Para atingir o objetivo a que nos propomos, apresentamos um modelo didático do artigo de opinião, a partir da análise de um corpus constituído por oito exemplares do género, recolhidos em 2018. Em termos metodológicos, privilegiamos uma abordagem descendente (Voloshinov, [1929] 1977), partindo das atividades e parâmetros contextuais, seguindo-se o linguístico, considerando a organização temática, ou seja, o plano de texto, os tipos discursivos privilegiados, bem como as vozes que neles assumem responsabilidade enunciativa (Adam, 2008; Bronckart, [1997] 1999). Assim, o modelo didático proposto contempla duas dimensões que se intersetam: contextual e composicional. Na dimensão contextual, evidenciamos o funcionamento social do género, os objetivos comunicativos e os parâmetros contextuais. Na dimensão composicional, sublinhamos a organização dos conteúdos, bem como a configuração linguística das vozes dos autores empíricos e dos tipos discursivos da ordem do expor, destacando-se a presença do discurso interativo em momentos específicos do plano texto, essencial para o conhecimento da expressão linguística de pontos de vista em português.

AB - Inscrevendo-se no âmbito da Linguística do Texto e privilegiando o Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) (Bronckart, [1997] 1999), bem como os princípios da Didática dos Géneros (Dolz & Schneuwly, 2004), esta proposta foca o contributo da didatização do artigo de opinião para o conhecimento explícito do funcionamento da língua.Para o ISD, os géneros são instrumentos reguladores das práticas comunicativas humanas, constituindo formatos interiorizados a partir das práticas textuais dos falantes. Entendidos como modelos pré-construídos, os géneros são historicamente e culturalmente marcados e estão associados às atividades da vida social e, por isso, refletem os usos da língua nas diferentes esferas de atividade (Bronckart, 2008; Miranda, 2012). Nesta perspetiva, os géneros como instrumentos didáticos permitem a aprendizagem da língua nas suas diferentes esferas de utilização, contribuindo, assim, para o incremento do conhecimento explícito do funcionamento da língua. Para atingir o objetivo a que nos propomos, apresentamos um modelo didático do artigo de opinião, a partir da análise de um corpus constituído por oito exemplares do género, recolhidos em 2018. Em termos metodológicos, privilegiamos uma abordagem descendente (Voloshinov, [1929] 1977), partindo das atividades e parâmetros contextuais, seguindo-se o linguístico, considerando a organização temática, ou seja, o plano de texto, os tipos discursivos privilegiados, bem como as vozes que neles assumem responsabilidade enunciativa (Adam, 2008; Bronckart, [1997] 1999). Assim, o modelo didático proposto contempla duas dimensões que se intersetam: contextual e composicional. Na dimensão contextual, evidenciamos o funcionamento social do género, os objetivos comunicativos e os parâmetros contextuais. Na dimensão composicional, sublinhamos a organização dos conteúdos, bem como a configuração linguística das vozes dos autores empíricos e dos tipos discursivos da ordem do expor, destacando-se a presença do discurso interativo em momentos específicos do plano texto, essencial para o conhecimento da expressão linguística de pontos de vista em português.

M3 - Abstract

SP - 68

EP - 69

ER -

Rosa R, Ricciardi N. Modelo didático do artigo de opinião: do ensino do género ao conhecimento explícito do funcionamento da língua”. 2019. Abstract from VI Fórum de Linguística Aplicada ao Ensino e Aprendizagem de Línguas (FLAEL), Lisboa, Portugal.