Moçambique: Guerra, Paz e Legitimidade

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

O ano de 2019 será um ano importante e difícil para Moçambique. Se é verdade que as eleições representam uma oportunidade para a consolidação da democracia, é preciso ter presente que ocorrerão num contexto de múltiplos riscos, incluindo um processo de paz ainda frágil, uma profunda crise económica e financeira, a deterioração das condições de segurança e as fragilidades e dilemas internos enfrentados pelos dois principais partidos. No entanto, para além de um possível retorno ao conflito armado, o futuro de Moçambique pode estar agora refém de um outro risco, que é o de uma paz irrelevante. Uma irrelevância que se manifesta num duplo sentido. Por um lado, pela redução da paz a moeda de troca e exercício de retórica ou a um fim em si mesmo, ignorando-se que a paz é também um meio necessário para a construção de um futuro próspero. Por outro lado, pelo risco de uma profunda crise de legitimidade. Isto porque só com legitimidade – ie, com o reconhecimento do povo e em representação do povo – poderão as partes negociar uma paz verdadeira, duradoura e relevante.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)243-258
Number of pages16
JournalRevista Brotéria
Volume188
Issue number2
Publication statusPublished - Feb 2019

Keywords

  • FRELIMO,
  • Moçambique
  • Paz

Cite this

@article{805cd310ec514ba6ae8b2738321a52af,
title = "Mo{\cc}ambique: Guerra, Paz e Legitimidade",
abstract = "O ano de 2019 ser{\'a} um ano importante e dif{\'i}cil para Mo{\cc}ambique. Se {\'e} verdade que as elei{\cc}{\~o}es representam uma oportunidade para a consolida{\cc}{\~a}o da democracia, {\'e} preciso ter presente que ocorrer{\~a}o num contexto de m{\'u}ltiplos riscos, incluindo um processo de paz ainda fr{\'a}gil, uma profunda crise econ{\'o}mica e financeira, a deteriora{\cc}{\~a}o das condi{\cc}{\~o}es de seguran{\cc}a e as fragilidades e dilemas internos enfrentados pelos dois principais partidos. No entanto, para al{\'e}m de um poss{\'i}vel retorno ao conflito armado, o futuro de Mo{\cc}ambique pode estar agora ref{\'e}m de um outro risco, que {\'e} o de uma paz irrelevante. Uma irrelev{\^a}ncia que se manifesta num duplo sentido. Por um lado, pela redu{\cc}{\~a}o da paz a moeda de troca e exerc{\'i}cio de ret{\'o}rica ou a um fim em si mesmo, ignorando-se que a paz {\'e} tamb{\'e}m um meio necess{\'a}rio para a constru{\cc}{\~a}o de um futuro pr{\'o}spero. Por outro lado, pelo risco de uma profunda crise de legitimidade. Isto porque s{\'o} com legitimidade – ie, com o reconhecimento do povo e em representa{\cc}{\~a}o do povo – poder{\~a}o as partes negociar uma paz verdadeira, duradoura e relevante.",
keywords = "FRELIMO,, Mo{\cc}ambique, Paz",
author = "Pinto, {Teresa Nogueira}",
note = "info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147295/PT# UID/CPO/04627/2019",
year = "2019",
month = "2",
language = "Portuguese",
volume = "188",
pages = "243--258",
journal = "Revista Brot{\'e}ria",
issn = "0870-7618",
number = "2",

}

Moçambique: Guerra, Paz e Legitimidade. / Pinto, Teresa Nogueira.

In: Revista Brotéria, Vol. 188, No. 2, 02.2019, p. 243-258.

Research output: Contribution to journalArticle

TY - JOUR

T1 - Moçambique: Guerra, Paz e Legitimidade

AU - Pinto, Teresa Nogueira

N1 - info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147295/PT# UID/CPO/04627/2019

PY - 2019/2

Y1 - 2019/2

N2 - O ano de 2019 será um ano importante e difícil para Moçambique. Se é verdade que as eleições representam uma oportunidade para a consolidação da democracia, é preciso ter presente que ocorrerão num contexto de múltiplos riscos, incluindo um processo de paz ainda frágil, uma profunda crise económica e financeira, a deterioração das condições de segurança e as fragilidades e dilemas internos enfrentados pelos dois principais partidos. No entanto, para além de um possível retorno ao conflito armado, o futuro de Moçambique pode estar agora refém de um outro risco, que é o de uma paz irrelevante. Uma irrelevância que se manifesta num duplo sentido. Por um lado, pela redução da paz a moeda de troca e exercício de retórica ou a um fim em si mesmo, ignorando-se que a paz é também um meio necessário para a construção de um futuro próspero. Por outro lado, pelo risco de uma profunda crise de legitimidade. Isto porque só com legitimidade – ie, com o reconhecimento do povo e em representação do povo – poderão as partes negociar uma paz verdadeira, duradoura e relevante.

AB - O ano de 2019 será um ano importante e difícil para Moçambique. Se é verdade que as eleições representam uma oportunidade para a consolidação da democracia, é preciso ter presente que ocorrerão num contexto de múltiplos riscos, incluindo um processo de paz ainda frágil, uma profunda crise económica e financeira, a deterioração das condições de segurança e as fragilidades e dilemas internos enfrentados pelos dois principais partidos. No entanto, para além de um possível retorno ao conflito armado, o futuro de Moçambique pode estar agora refém de um outro risco, que é o de uma paz irrelevante. Uma irrelevância que se manifesta num duplo sentido. Por um lado, pela redução da paz a moeda de troca e exercício de retórica ou a um fim em si mesmo, ignorando-se que a paz é também um meio necessário para a construção de um futuro próspero. Por outro lado, pelo risco de uma profunda crise de legitimidade. Isto porque só com legitimidade – ie, com o reconhecimento do povo e em representação do povo – poderão as partes negociar uma paz verdadeira, duradoura e relevante.

KW - FRELIMO,

KW - Moçambique

KW - Paz

M3 - Article

VL - 188

SP - 243

EP - 258

JO - Revista Brotéria

JF - Revista Brotéria

SN - 0870-7618

IS - 2

ER -