Memórias da guerra civil espanhola em Barrancos: solidariedades e resistências

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

Abstract

Ao longo do processo histórico, a mobilidade entre populações de um e de outro ladoda fronteira luso-espanhola resultante de conflitos entre os estados ibéricos, ou deinteresses de grupos e de indivíduos, consolidaram as relações entre portugueses eespanhóis. A mobilidade assinala a procura de alternativas de sobrevivência económica, emque o contrabando representou a actividade mais significativa, mas também a procura derefúgio, em que os fluxos de refugiados da guerra civil de Espanha representaram o maiorêxodo do século XX. No concelho de Barrancos, no Baixo Alentejo, ocorreram dois dosmaiores fluxos de refugiados para território português, formados por gruposideologicamente opostos, cujo acolhimento legitima a construção de uma memória socialalicerçada na solidariedade como valor identitário da comunidade
Original languageUnknown
Title of host publicationDe Pé Sobre a Terra. Estudos Sobre a Indústria, o Trabalho e o Movimento Operário em Portugal.
Place of PublicationLisboa
PublisherCâmara Municipal de Barrancos
Pages633-652
ISBN (Print)978-989-98170-1-2
Publication statusPublished - 1 Jan 2013

Cite this

Simões, M. D. (2013). Memórias da guerra civil espanhola em Barrancos: solidariedades e resistências. In De Pé Sobre a Terra. Estudos Sobre a Indústria, o Trabalho e o Movimento Operário em Portugal. (pp. 633-652). Lisboa: Câmara Municipal de Barrancos.