Mário de Sá-Carneiro, sem anos depois

Research output: Contribution to journalArticle

33 Downloads (Pure)

Abstract

A obra de Mário de Sá-Carneiro ainda se mantém actual cem anos depois da sua
morte: a modernidade do seu estilo não se esgota nas modas modernistas da época, mas mantém-se actual e contemporânea dos dias de hoje. Esta obra é de uma grande coerência temática. Ao longo da sua poesia, prosa e teatro, repete-se renovadamente o tema do Eu/Outro, o desejo de atingir a perfeição absoluta, como Ícaro, e o fracasso da realização plena. Em textos como os bem conhecidos poemas «Quasi», e «7» assim como na narrativa «A Confissão de Lúcio», está presente este desejo de fusão do Eu e do Outro e a impossibilidade de o conseguir. Mário de Sá-Carneiro foi, juntamente com Pessoa, um dos
fundadores do modernismo português, um dos directores da revista «Orpheu». Ambos os poetas criaram ismos fundamentais para a construção do nosso modernismo: paulismo, interseccionismo, sensacionismo. No entanto, mantiveram-se fiéis aos seus estilos próprios.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)112-117
Number of pages5
JournalAnuário de Literatura
Volume21
Issue number2
Publication statusPublished - 2016

Keywords

  • Sá-Carneiro
  • Eu/Outro
  • Modernismo
  • Contemporâneo

Cite this

@article{ad61f29f21df4cce8d19d147d02ed6a9,
title = "M{\'a}rio de S{\'a}-Carneiro, sem anos depois",
abstract = "A obra de M{\'a}rio de S{\'a}-Carneiro ainda se mant{\'e}m actual cem anos depois da suamorte: a modernidade do seu estilo n{\~a}o se esgota nas modas modernistas da {\'e}poca, mas mant{\'e}m-se actual e contempor{\^a}nea dos dias de hoje. Esta obra {\'e} de uma grande coer{\^e}ncia tem{\'a}tica. Ao longo da sua poesia, prosa e teatro, repete-se renovadamente o tema do Eu/Outro, o desejo de atingir a perfei{\cc}{\~a}o absoluta, como {\'I}caro, e o fracasso da realiza{\cc}{\~a}o plena. Em textos como os bem conhecidos poemas «Quasi», e «7» assim como na narrativa «A Confiss{\~a}o de L{\'u}cio», est{\'a} presente este desejo de fus{\~a}o do Eu e do Outro e a impossibilidade de o conseguir. M{\'a}rio de S{\'a}-Carneiro foi, juntamente com Pessoa, um dosfundadores do modernismo portugu{\^e}s, um dos directores da revista «Orpheu». Ambos os poetas criaram ismos fundamentais para a constru{\cc}{\~a}o do nosso modernismo: paulismo, interseccionismo, sensacionismo. No entanto, mantiveram-se fi{\'e}is aos seus estilos pr{\'o}prios.",
keywords = "S{\'a}-Carneiro , Eu/Outro , Modernismo, Contempor{\^a}neo",
author = "Costa, {Paula Cristina Lopes da}",
note = "info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147232/PT# UID/ELT/00657/2013",
year = "2016",
language = "Portuguese",
volume = "21",
pages = "112--117",
journal = "Anu{\'a}rio de Literatura",
issn = "2175-7917",
publisher = "Universidade Federal de Santa Catarina",
number = "2",

}

Mário de Sá-Carneiro, sem anos depois. / Costa, Paula Cristina Lopes da.

In: Anuário de Literatura, Vol. 21, No. 2, 2016, p. 112-117.

Research output: Contribution to journalArticle

TY - JOUR

T1 - Mário de Sá-Carneiro, sem anos depois

AU - Costa, Paula Cristina Lopes da

N1 - info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147232/PT# UID/ELT/00657/2013

PY - 2016

Y1 - 2016

N2 - A obra de Mário de Sá-Carneiro ainda se mantém actual cem anos depois da suamorte: a modernidade do seu estilo não se esgota nas modas modernistas da época, mas mantém-se actual e contemporânea dos dias de hoje. Esta obra é de uma grande coerência temática. Ao longo da sua poesia, prosa e teatro, repete-se renovadamente o tema do Eu/Outro, o desejo de atingir a perfeição absoluta, como Ícaro, e o fracasso da realização plena. Em textos como os bem conhecidos poemas «Quasi», e «7» assim como na narrativa «A Confissão de Lúcio», está presente este desejo de fusão do Eu e do Outro e a impossibilidade de o conseguir. Mário de Sá-Carneiro foi, juntamente com Pessoa, um dosfundadores do modernismo português, um dos directores da revista «Orpheu». Ambos os poetas criaram ismos fundamentais para a construção do nosso modernismo: paulismo, interseccionismo, sensacionismo. No entanto, mantiveram-se fiéis aos seus estilos próprios.

AB - A obra de Mário de Sá-Carneiro ainda se mantém actual cem anos depois da suamorte: a modernidade do seu estilo não se esgota nas modas modernistas da época, mas mantém-se actual e contemporânea dos dias de hoje. Esta obra é de uma grande coerência temática. Ao longo da sua poesia, prosa e teatro, repete-se renovadamente o tema do Eu/Outro, o desejo de atingir a perfeição absoluta, como Ícaro, e o fracasso da realização plena. Em textos como os bem conhecidos poemas «Quasi», e «7» assim como na narrativa «A Confissão de Lúcio», está presente este desejo de fusão do Eu e do Outro e a impossibilidade de o conseguir. Mário de Sá-Carneiro foi, juntamente com Pessoa, um dosfundadores do modernismo português, um dos directores da revista «Orpheu». Ambos os poetas criaram ismos fundamentais para a construção do nosso modernismo: paulismo, interseccionismo, sensacionismo. No entanto, mantiveram-se fiéis aos seus estilos próprios.

KW - Sá-Carneiro

KW - Eu/Outro

KW - Modernismo

KW - Contemporâneo

M3 - Article

VL - 21

SP - 112

EP - 117

JO - Anuário de Literatura

JF - Anuário de Literatura

SN - 2175-7917

IS - 2

ER -