Luisa Carnés: militância e exílio nas duas margens atlânticas

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapterpeer-review

Abstract

Luisa Carnés (Madrid, 1905-Cidade do México, 1964) é uma das mais importantes escritoras espanholas da II República. Envolvida activamente na Guerra Civil (1936-1939), teve de abandonar o país após a vitória das tropas fascistas lideradas por Franco e exilar-se na América Latina, à semelhança de tantos outros compatriotas. Carnés fixou-se no México, onde continuou a sua actividade literária e jornalística, embora de forma mais discreta.
É já em pleno século XXI que a sua obra é recuperada em Espanha, tendo especial relevância o romance Tea Rooms. Mujeres obreras (original de 1934), que, desde 2016, se tornou um sucesso de vendas, em particular junto de um público feminino jovem, interessado em conhecer uma literatura que põe em primeiro plano a mulher trabalhadora.
Neste artigo abordamos o contexto do reaparecimento de Luisa Carnés quase cem anos depois das primeiras edições, o seu êxito nos dias de hoje e os temas abordados na sua narrativa escrita no México (em particular no que diz respeito à mulher), transformada numa autora migrante e transatlântica, com uma visão particular tanto da América como de Espanha.
Original languagePortuguese
Title of host publicationMulheres transatlânticas
Subtitle of host publicationIdentidades Femininas em Movimento
EditorsAdriana Aparecida de Figueiredo Fiuza, Gabriela de Lima Grecco, Iliriana Fontoura Rodrigues
Place of PublicationMadrid, Rio de Janeiro
PublisherUAM Ediciones, Autografia
Pages93-117
Number of pages24
ISBN (Print)978-65-5943-327-8
Publication statusPublished - 2021

Cite this