Linha de Cascais: muito mais do que uma via-férrea turística, um estímulo à concentração populacional na faixa costeira por ela servida (1911-1944)

Research output: Contribution to journalArticle

5 Downloads (Pure)

Abstract

A linha de Cascais, construída no final do século XIX e tendo, inicialmente, um fito turístico, de veraneio e prática de banhos, acabou por se revelar uma via-férrea que promoveu a concentração de população de facto no espaço suburbano e rural por ela servido, nomeadamente entre Algés e Cascais. Cabe, neste estudo, verificar: qual o alcance da influência do caminho-de-ferro; quais as povoações que, em termos demográficos, se destacavam e se estas já tinham alguma importância anterior, em termos de quantitativos populacionais e
sectores de actividade a elas associados; e, para finalizar, qual o carácter de ocupação da faixa costeira pela população, nomeadamente, se é contínuo ou descontínuo. Visa-se, assim, à luz da presença do caminho-de-ferro (e, nos anos 20 do século XX, mediante a sua electrificação, que constituiu um estímulo e um factor atractivo), estudar o processo de suburbanização da cidade de Lisboa para Oeste, junto à zona ribeirinha, o qual, alguns anos mais tarde, originou
a formação de parte integrante da Área Metropolitana de Lisboa.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)361-380
Number of pages21
JournalRevista de História da Sociedade e da Cultura
Volume13
Publication statusPublished - 2013

Keywords

  • História Contemporânea
  • História Urbana
  • Linha de Cascais
  • Suburbanização
  • Turismo

Cite this