Vida e (im)possibilidade: ensaio sobre o abandono

Translated title of the contribution: Life and (Im)Possibility: Essay on Abandonment

Research output: Contribution to journalArticle

1 Downloads (Pure)

Abstract

A partir de uma analítica da rede de relações heterogéneas e historicamente situadas que definem (e são definidas por) uma certa racionalidade política, discutimos a condição humana na modernidade avançada nos seus fundamentos politico-filosóficos. A exceção, paradigma da (bio)governamentalidade contemporânea, permeabiliza as relações entre normativo e anormativo, criando zonas de indistinção onde se produz o abandono da vida. Deixada à deriva num movimento errático de auto-referenciação, a vida inscreve-se numa lógica de (im)possibilidade que autoriza e interdita determinadas formas de subjetivação. Lugar de abandono, o corpo biopolítico mostra os limites do poder que o expõe à morte e, nesse instante, constitui-se como heterotopia, anunciando a possibilidade da resistência.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)284-303
Number of pages19
JournalProblemata – Revista Internacional de Filosofia
Volume10
Issue number1
DOIs
Publication statusPublished - 2019

Keywords

  • vida
  • exceção
  • abandono
  • deriva
  • heterotopia

Cite this