Leitura e mendicância: praticar a Regra no Convento de São francisco da Horta, Faial

Research output: Contribution to conferenceAbstract

Abstract

“Todas as nossas casas tenham livrarias, de que haverá inventário. E dos livros que nele estão dará conta quem assistir na livraria. Pelo que terá o tal religioso a chave dela. E o guardião cuidado de mandar consertar os livros, para que se não percam. E se for negligente neste particular será castigado pelo provincial, o qual terá muito cuidado de prover as livrarias todas da província dos livros necessários, principalmente dos Morais e Predicativos, aproveitando-se para isso dos que ficarem do uso dos frades defuntos, e dos que por doação ou legado deixaram à Província pessoas devotas. E quando nem com isto se supra a falta que deles houver em algumas casas, dará ordem, com que os guardiães delas comprem os tais livros das esmolas, que vierem à casa (...)”.
A partir de textos legais, fontes narrativas, monografias locais, registos e inventários da Ordem Franciscana, é possível reconstituir práticas da vida claustral, mas também de sociabilidade junto das populações onde as casas monástico-conventuais se situavam. Legalizados nos Açores por Letra Apostólica de 28 de Abril de 1450, os Franciscanos disseminaram-se por todo o arquipélago, conhecendo vários desdobramentos que levaram à erecção da província independente de São João Evangelista que, em conjunto com os outros Claustrais, actou com grande vigor até à exclaustração das Ordens em 1834.
Este estudo aplica-se ao antigo Convento de São Francisco da cidade da Horta no Faial (Açores), que ainda hoje conserva as suas instalações de grande valia patrimonial – tenha-se em conta, por exemplo, o conjunto azulejar com cenas da vida de São Francisco e a magnífica obra em talha. Para o presente estudo, analisa-se a composição da livraria conventual, de que resta o seu inventário, bem como o registo das esmolas, e respectivos doadores, que a população envolvente entregava aos frades nas suas práticas de mendicância, matriz da Ordem a que pertenciam.
É possível resgatar duas das valências mais importantes da vida monástico-conventual, uma mais ‘doméstica’ e comunitária – a prática da leitura – e outra ligada ao quotidiano das populações, pois as esmolas registadas são sobretudo de produtos alimentícios, o que permite um retrato sociológico e económico da ilha.
Original languagePortuguese
Pages48-49
Number of pages2
Publication statusPublished - Oct 2019
EventIlhas do Mar Oceano: formas de governança em espaço de fronteira - Casa dos Açores, Lisboa, Portugal
Duration: 14 Oct 201918 Oct 2019
http://ilhasdomaroceano.mozello.com/

Conference

ConferenceIlhas do Mar Oceano
CountryPortugal
CityLisboa
Period14/10/1918/10/19
Internet address

Cite this

Amorim, M. A. (2019). Leitura e mendicância: praticar a Regra no Convento de São francisco da Horta, Faial. 48-49. Abstract from Ilhas do Mar Oceano, Lisboa, Portugal.