Las aguas en el Arte Contemporáneo

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

8 Downloads (Pure)

Abstract

Alberti atribui a invenção da pintura a Narciso; e, por via do mito antigo, estabelece uma analogia entre a pintura (flor de todas as artes) e a superfície de água cristalina parada (espelho natural). Embora sejam ambas impalpáveis, a imagem pintada confere permanência ao reflexo aquático, fugaz. Componente de diversos materiais da pintura, a água é um meio privilegiado da aguarela, favorecendo com a diluição, as passagens, osmoses e fusões entre as formas e o esboroamento de matérias. Nas propostas artísticas contemporâneas aqui abordadas, a água (nos seus vários estados físicos; pura ou poluída) está, sobretudo, presente como realidade efectiva (matéria, suporte, médium, meio de imersão, lugar específico, força motriz passível de ser controlada, canalizada e armazenada). O foco de incidência dessas propostas é variável: ora visa as propriedades físicas da água ou a sua transformação – implicando (ou não) uma dimensão ecológica (recuperação e reutilização) – ora explora as potencialidades metafóricas desse elemento móvel, vivo e fluido, implicando (ou não) uma dimensão política.
Original languageSpanish
Title of host publicationLecturas del Agua
Subtitle of host publicationUn acercamiento interdisciplinar desde la cultura y el turismo
EditorsMaria Ávila, Maria Pires
Place of PublicationMadrid
PublisherLos Libros de la Catarata
Pages110-120
Number of pages10
ISBN (Print)978-84-9097-208-3
Publication statusPublished - 2016

Keywords

  • Arte contemporânea
  • Crise Ambiental
  • Reabilitação cultural e ecológica
  • Prática tradicional
  • Comunidade

Cite this

Conceição, C. A. R. (2016). Las aguas en el Arte Contemporáneo. In M. Ávila, & M. Pires (Eds.), Lecturas del Agua: Un acercamiento interdisciplinar desde la cultura y el turismo (pp. 110-120). Madrid: Los Libros de la Catarata.