Justiça Intergeracional: a temporalidade da política como resposta à pergunta “quais são os nossos deveres em relação às gerações futuras?”

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

A justiça intergeracional envolve dois tipos de problemas filosóficos: o de indagar se existirá sequer uma justiça entre gerações; e o de identificar o seu conteúdo. Este ensaio aborda o primeiro problema, focando-se na área da Filosofia Política. Divide-se em três partes. Na primeira, serão elencadas as teorias mais recentes da justiça intergeracional no âmbito político, a partir de diferentes perspectivas. Na segunda, serão apresentados alguns dos principais argumentos cépticos à pergunta acerca da existência de justiça intergeracional. Por fim, será dada uma tentativa de resposta através de dois argumentos: o “argumento da temporalidade” (é necessário adequar a discussão da justiça intergeracional ao tempo inerentemente multigeracional da política dentro de um contexto democrático viável) e o “argumento da juridicidade modal” (o recurso às características essenciais do Direito consiste já no estabelecimento de responsabilidades para com gerações futuras).
Original languagePortuguese
Pages (from-to)119-145
Number of pages26
JournalRevista Portuguesa de Filosofia
Volume71
Issue number1
DOIs
Publication statusPublished - 2015

Keywords

  • filosofia política, intergeracional, juridicidade modal, justiça, temporalidade

Cite this