Jorge Vieira: Monumento ao Prisioneiro Político Desconhecido

Leonor de Oliveira (Editor/Coordinator), Paula Loura Batista (Editor/Coordinator)

Research output: Book/ReportBook

Abstract

Esta exposição revisita a participação do escultor Jorge Vieira
(1922-1998) naquela que é considerada a primeira grande competição artística do pós-Segunda Guerra Mundial – o Concurso Internacional de Escultura: O Prisioneiro Político Desconhecido. Organizado pelo Instituto de Arte Contemporânea de Londres entre 1952 e 1953, este evento reuniu figuras destacadas do panorama museológico e artístico internacional e recebeu um grande interesse por parte dos artistas contemporâneos: para a exposição final na Tate Gallery foram selecionadas 140 maquetes provenientes de 54 países.
O tema do concurso surgiu com especial relevância no pós-guerra, por celebrar
a luta pela liberdade como um ideal universal. No entanto, este evento acabou por ser utilizado no contexto da Guerra Fria para defender os valores democráticos promovidos no bloco ocidental contra a influência da União Soviética no bloco de leste. Deste ponto de vista, a participação de Jorge Vieira, e também do escultor basco Jorge Oteiza, introduziu uma imagem mais complexa da realidade vivida na época. A sua escultura estabeleceu uma manifestação criativa de resistência, não só contra o totalitarismo na Península Ibérica, mas também contra a sua aceitação pelos estados ocidentais.
Esta exposição parte da conceção de um monumento ao prisioneiro político desconhecido no Portugal de Salazar para acompanhar a renovação da escultura monumental que Jorge Vieira levou a cabo nos anos da ditadura. Após a queda do regime, o escultor participaria na definição criativa do espaço cívico democrático através de vários projetos de escultura pública, que esta exposição destaca também. O monumento que concebera em 1952 pôde ser finalmente concretizado (Beja, 1994), redefinindo-se hoje em dia como um alerta contra a infiltração de discursos populistas que procuram contrariar visões críticas da história e reduzir a contemporaneidade a uma nova versão do país nos tempos do Estado Novo.
Para além da maquete do Monumento ao Prisioneiro Político Desconhecido, esta
exposição inclui registos documentais e bibliográficos sobre a trajetória expositiva desta obra em Portugal e no estrangeiro. Esta exposição beneficia ainda da representação de Jorge Vieira no acervo do Museu do Neo-Realismo, que para além de 4 peças escultóricas, inclui um significativo conjunto de desenhos e estudos produzidos entre as décadas de 1950 e 1980, provenientes da generosa doação da sua companheira, a escultora Noémia Cruz. Estes trabalhos dão conta da obra inovadora de Jorge Vieira, pela sua atitude de grande modernidade que foi determinante para a fundação da escultura
contemporânea portuguesa, mas também pelo seu empenhamento cívico e de luta antifascista ao longo do seu percurso artístico, que aqui se demonstra.
Original languagePortuguese
Place of PublicationVila Franca de Xira
PublisherCâmara Municipal de Vila Franca de Xira
Number of pages149
ISBN (Print)978-989-531218-1-8
Publication statusPublished - 11 Sep 2021
EventJorge Vieira: Monumento ao Prisioneiro Político Desconhecido - Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira, Portugal
Duration: 11 Sep 202127 Feb 2022
http://www.museudoneorealismo.pt/exposicoes/evento-5/jorge-vieira-monumento-ao-prisioneiro-politico-desconhecido

Cite this