Atacar será a melhor defesa? A influência das experiencias precoces e da paranoia na agressividade dos jovens açorianos

Translated title of the contribution: Is the offence the best defense? Influences of childhood experiences and paranoia in the aggression in Azorean youths

Carolina da Motta, Joana Cabral, Suzana Nunes Caldeira, Joana Cabral

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

A ideação paranoide é um processo cognitivo e social que pode ser considerado normativo (e.g. sentimentos de desconfiança ocasionais) ou disfuncional, constituindo-se, neste ultimo caso, como um sintoma psicopatológico
(e.g. delírios paranoides). Mesmo em níveis subclínicos, a ideação paranoide pode constituir um entrave para o bom funcionamento interpessoal, na medida em que o comportamento disruptivo que dela advém pode afetar todas as esferas de funcionamento do indivíduo (e.g. relações familiares, entre pares, profissionais e/ou académicas). O presente estudo explorará a influência dos estilos parentais e o papel mediador da ideação paranoide na agressividade durante a adolescência, bem como as implicações para a prevenção e intervenção em contextos clínicos e educacionais.
Translated title of the contributionIs the offence the best defense? Influences of childhood experiences and paranoia in the aggression in Azorean youths
Original languagePortuguese
Pages (from-to)47-53
Number of pages7
JournalRevista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación
Volume2
Issue number1
Publication statusPublished - 2015

Fingerprint Dive into the research topics of 'Is the offence the best defense? Influences of childhood experiences and paranoia in the aggression in Azorean youths'. Together they form a unique fingerprint.

Cite this