Instituições para a acção colectiva numa perspectiva histórica: mutualismo nos subúrbios industriais lisboetas (1890-1930)

Translated title of the contribution: Institutions for collective action in a historical perspective: mutual-aid in the Lisbon industrial suburbs (1890-1930)

Research output: Contribution to journalArticle

7 Downloads (Pure)

Abstract

Este trabalho analisa a evolução da primeira tipologia de instituições para a acção colectiva (OSTROM, 1990) a proliferar em Portugal durante o período liberal – As Associações de Socorros Mútuos – que foram também as que alcançaram o maior número de sócios e determinaram os mais significativos impactos no processo histórico. Ilustra com detalhe o paternalismo e o interclassismo primordiais, tendo como base o caso de estudo dos subúrbios industriais lisboetas, de que forma tais associações emergem de ancestrais laços de ofício e evoluem no sentido de superar o corporativismo, o paternalismo e o interclassismo. Destaca o alargamento das suas bases sociais e os factores de inclusão e exclusão, como o enraizamento local e a escassa integração das mulheres, respectivamente. Sublinha finalmente a importância desse movimento na reorganização e formalização de antigas práticas de entreajuda e no desenvolvimento de mais abrangentes solidariedades horizontais entre as comunidades operárias, o que desempenhou um papel fundamental na emergência do movimento operário organizado.
Translated title of the contributionInstitutions for collective action in a historical perspective: mutual-aid in the Lisbon industrial suburbs (1890-1930)
Original languagePortuguese
Pages (from-to)157-190
Number of pages33
JournalCadernos de História
Volume16
Issue number24
DOIs
Publication statusPublished - 2015

Keywords

  • Mutual-aid Movement
  • Corporative legacy
  • Working-class communities
  • Social Bases
  • Labour movement

Cite this