Inspecionar e avaliar

origens da regulação coerciva da educação em Portugal

Research output: Contribution to journalArticle

17 Downloads (Pure)

Abstract

A avaliação externa das escolas tem sido considerada como um dos instrumentos decisivos dos novos modos de regulação dos sistemas educativos europeus, enquadrável no que alguns autores identificam como a emergência do «Estado avaliador». Na maior parte dos países europeus são os serviços de inspeção que desempenham o papel central nesse processo de regulação coerciva da educação. Partindo da análise do caso português, pretende‑se explorar a hipótese dessa convergência institucional constituir, desde as suas origens no século XIX, uma expressão das dinâmicas de isomorfismo mimético que as teorias neoinstitucionalistas identificaram no desenvolvimento mundial da escola de massas. Pela análise comparada dos normativos estruturantes e orientações produzidas sobre as inspeções ordinária e extraordinárias, desde 1835 a 1910, é possível identificar as duas dimensões fundamentais da ação inspetiva – a burocrática e a «pedagógica» ou avaliativa –, bem como as diferentes soluções organizacionais, consoante se associem a políticas de centralização, desconcentração ou descentralização.

The external evaluation of schools has been regarded as one of the key instruments of the new modes of regulation of European education systems, framed within what some authors identify as the emergence of «Evaluator state». In most European countries are the inspectorates play a central role in the coercive regulation process of education. Based on the analysis of the Portuguese case, we aim to explore the hypothesis that institutional convergence constitute, from its origins in the nineteenth century, an expression of the dynamics of mimetic isomorphism that neo ‑institutionalists theories identified in the development of global mass schooling. The comparative analysis of the main regulations and guidance on ordinary and extraordinary inspections from 1835 to 1910 reveals the two fundamental dimensions of the inspection activity – the bureaucratic and «pedagogical» or evaluative – as well as the different organizational solutions, depending on whether they involve centralization, deconcentration or decentralization.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)31-51
Number of pages20
JournalEducação, Sociedade & Culturas
Issue number47
Publication statusPublished - 2016

Keywords

  • Avaliação externa das escolas
  • Inspeção
  • Isomorfismo
  • Regulação coerciva
  • Estatística da instrução

Cite this