Imagens de “A Guerra”: Interacção entre os discursos visual e verbal na série de Joaquim Furtado

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

Ao longo de seis anos (2007 a 2013), a Rádio e Televisão de Portugal emitiu no seu canal principal e em horário nobre a série documental A Guerra, uma obra quase enciclopédica sobre os 13 anos das guerras coloniais portuguesas, da autoria de Joaquim Furtado. Originalmente concebida para uma duração de seis episódios, a vastidão dos materiais recolhidos fez com que a dimensão da série fosse sucessivamente alarga- do para um total de 42 episódios de cerca de uma hora cada. Apesar do número impressionante de mais de um milhão de espectadores na sua primeira temporada, - um número que ultrapassa em muito a tiragem de qualquer livro escrito sobre a mesma matéria -, a série até agora não tem sido objecto de análises aprofundadas por parte da academia. Com base na análise de uma selecção de sequências dos quatro primei- ros episódios da série, o presente artigo foca duas questões principais: De que maneira contribuem as formas audiovisuais para moldar a memória histórica. Em que medida pode o contributo do filme docu- mentário ser tão válido como o do texto escrito ou seja o instrumento tradicional da historiografia?
Original languagePortuguese
Pages (from-to)33-60
Number of pages28
JournalPráticas da História
Volume1
Issue number1
Publication statusPublished - 2015

Keywords

  • Documentário histórico
  • A Guerra
  • Joaquim Furtado
  • Guerra Colonial
  • Império Português

Cite this