Identidade, narrativa e sofrimento

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

Abstract

No âmbito dos trabalhos que tenho vindo a desenvolver sobre as relações entre a filosofia e a clínica, o tema que evoco é seguramente um dos mais gerais, mas, para além de estar próximo da realidade quotidiana dos serviços de saúde, evidencia a relação entre a narrativa e sofrimento. Este texto averiguar algumas das relações que podem existir entre o sofrimento e a função narrativa tal como esta assegura grande parte das nossas identidades; confrontar também a compreensão narrativa da identidade e do sofrimento, oriunda da filosofia de Ricœur, com uma outra em que a ipseidade se situa unicamente ao nível da auto-afecção indizível (como no-la dá a conhecer Henry) de tal modo que o sofrimento nunca se deixa mediatizar pela linguagem. Se bem que a identidade seja representável ao nível da mediação simbólica, é possível, no entanto, que o sofrimento revele o que há de irrepresentável em ser-se si-próprio e nos dê a entender que a acção inerente ao contarmo-nos está permanentemente condicionada por uma força afectiva que lhe dá forma e sentido.
Original languagePortuguese
Title of host publicationNarrativa e Bioética
EditorsAntónio Barbosa
Place of PublicationLisbon
PublisherCentro de Bioética da Facudade de Medicina da Universidade de Lisboa
Number of pages10
ISBN (Print)978-972-9349-34-8
Publication statusPublished - 2015

Cite this

Proença, N. M. (2015). Identidade, narrativa e sofrimento. In A. Barbosa (Ed.), Narrativa e Bioética Lisbon: Centro de Bioética da Facudade de Medicina da Universidade de Lisboa.